PM mata jovem de 16 anos e cria clima de terror no Grajaú

Lucas Custódio dos Santos, 16 anos

Policiais colocaram o corpo na ambulância já com uma manta utilizada para cobrir cadáveres, dizem testemunhas. Depois da morte, moradores da região foram agredidos
Lucas Custódio dos Santos, 14 anos
Lucas Custódio dos Santos, 16 anos

Agentes da PM-SP (Polícia Militar do Estado de São Paulo) mataram o adolescente Lucas Custódio dos Santos, o Dudinha, negro, 16 anos, por volta das 14h desta quarta-feira (27) em um terreno baldio na Favela do Sucupira, região do Grajaú, zona sul da capital. Segundo primos e um irmão do jovem, Lucas voltava de um jogo de futebol quando tomou um tiro na perna. Depois do primeiro disparo, assustado, ele tentou fugir e foi alvejado mais vezes. Testemunhas relatam que policiais militares dispararam seis vezes contra o rapaz, acertando três tiros, além da perna, dois no abdômen.

Série de reportagens sobre o caso:
PM mata jovem de 16 anos e cria clima de terror no Grajaú
PMs demoraram 5 horas para informar morte de adolescente
Moradora relata agressões de PM no caso de morte de jovem no Grajaú
“Se você não sair agora, vou dar um tiro bem na sua barriga, matar você e seu filho”
Testemunhas dizem que Lucas estava algemado e que pediu a PMs para não ser morto
Morte de Lucas é a quinta no currículo de PM

De acordo com a corporação, dois adolescentes foram abordados e tentaram fugir. Um conseguiu escapar. A PM afirma que Lucas foi socorrido e levado ao Hospital Maria Antonieta, mas um vídeo, obtido com exclusividade pela Ponte Jornalismo, mostra que o corpo do jovem estava envolto com uma manta térmica. Segundo os moradores da região, ele deixou o terreno coberto por essa manta como um cadáver. Moradores afirmaram, ainda, que um dos policiais envolvidos no caso colocou as mãos na cabeça e disse estar arrependido do que fez. O caso foi registrado no 101o DP (Distrito Policial).

A reportagem pediu explicações à Polícia Militar, à 1h44 desta quinta-feira (28). Às 3h22, a corporação respondeu que “a Polícia Militar esclarece, em nome da transparência que lhe é peculiar, que o respectivo pedido de informação não oferece tempo hábil para o devido levantamento acerca do fato noticiado. Em respeito ao público leitor, encaminharemos a demanda ao Comando local, e responderemos, dentro da razoabilidade, assim que dispusermos dos dados a respeito.” Em contra resposta, a reportagem da Ponte afirmou que, assim que a corporação tiver uma versão para o fato, a matéria será atualizada.

Para chamar a atenção para a morte de Dudinha, moradores da região fizeram uma manifestação, que teve o seu pico por volta das 17h. Segundo a PM, cinco ônibus e um caminhão foram depredados. Os manifestantes também atearam fogo em lixo para interromper o tráfego na avenida Dona Belmira Marin, a principal do bairro. A presença da PM, principalmente do 27o Batalhão e da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), se intensificou para interromper os eventuais atos de vandalismo contra os veículos, mas, ao mesmo tempo, provocou terror em quem protestava. A reportagem da Ponte Jornalismo teve acesso a duas vítimas da truculência policial no Grajaú entre a tarde e a noite desta quarta-feira: Luiz Felipe Rocha de Lima, de 20 anos, pizzaiolo, e C., de 47.

Luiz Felipe Rocha de Lima temeu ter o mesmo fim de Dudinha, seu primo. Pizzaiolo, quando ficou sabendo que o jovem havia sido alvejado, ainda havia a esperança de que ele estivesse vivo. “Ninguém deixava a gente ver [o corpo]. Os policiais alegavam que estava vivo e que estavam prestando socorro. Só que já saiu daqui morto e eles quiseram falar que morreu quando chegou no hospital”, afirmou à Ponte. “Agora pela noite, eu subindo a rua, um policial olhou pra mim e falou ‘o que você tá olhando?’. Eu falei ‘nada, eu só tô te olhando’. Ele olhou pra mim e falou da seguinte forma: pra não ficar olhando pra ele porque ele é bonito, mas que se eu quisesse dar pra ele, eu dava depois.”

“Eu falei pra ele me respeitar porque eu sou homem igualmente a ele e vestia calça igualmente a ele. Aproveitaram da situação, falaram um monte para mim e começaram a me bater. E veio um policial pelas minhas costas e me deu uma bicuda. Aí um outro policial me agarrou e tentou me levar pra dentro do beco pra continuar me batendo, mas eu continuei brigando com o policial, me arrastando para a rua, enquanto eles tentavam me arrastar pra dentro do beco. Nisso, um policial começou a me forçar e eu desmaiei no meio da rua e eles me batendo. Depois eles me acordaram e começaram a me bater novamente e pediram meu documento. E quando eu fui pegar meu documento, o policial cuspiu na minha cara”, relata o primo da vítima fatal, que voltava da igreja depois de saber da morte do menor de idade.

Luiz Felipe é obreiro da Igreja Comunhão e Vida, trabalha com o Pastor Erico Reis, que também conhecia Lucas. “Era um menino tranquilo, andava sempre sorrindo e costumava ir ao culto jovem no segundo sábado de cada mês. Eu o conhecia desde os 5 anos de idade”, contou Reis.

C. não tem nenhum vínculo familiar com Lucas. Mesmo assim, sofreu, psicologicamente e fisicamente, com a morte do jovem. Assim que soube do protesto da avenida Belmira Marin, foi solidária e participou. Levou um tiro de bala de borracha nas costas. Durante toda a tarde e noite, até por volta das 23 horas, vários carros de polícia foram ao local, com agentes fortemente armados, encarando e medindo, da cabeça aos pés, os moradores. Depois deste horário, viaturas da Força Tática iam de um lado para o outro da avenida, devagar, com faróis e sirenes apagados. Os olhares dos policiais eram os mesmos do decorrer do dia. “Até agora [por volta de 1h de quinta-feira (28)] está todo mundo sendo agredido. Quem chega aqui, eles [policiais] agridem. Pega os moradores e levam lá para baixo para espancar”, afirmou a mulher à reportagem.

A população voltou para suas casas por volta de 1h30, vários estavam receosos sobre como será esta quinta-feira. Diversas viaturas da PM permaneceram no local e nos arredores durante a madrugada.


* Colaborou Rafael Bonifácio. / Na primeira versão deste texto, constava que Lucas Custódio tinha 14 anos. A informação foi corrigida às 17h53 de 28/05.

34 Comentários

  1. Sempre o mesmo sensacionalismo barato, sempre a parcialidade dos fatos.
    Testemunhos furado de amigos ou comparsas revoltadinhos.
    Já que publicou a matéria, porque não foi até a delegacia pra se informar do que o rapaz foi acusado ?
    Simplesmente publica a notícia como se os policiais tivessem entrado num terreno baldio e mataram o primeiro que passou, isso é jornalismo ?

      • O que é policia no Brasil Sr.Claudia ?
        O que é politica no Brasil Sr. Claudia ?
        Traficantes , riem do sistema brasileiro Ladroes todos muitas vezes liberados !
        De que adianta mandar pra cadeia passar 2 dias e ir embora !
        Não venha me dizer o que é policia !
        Pois o brasileiro n sabe o que é isto , ou melhor n sabe o que é um sistema politico !

      • Sempre o fascista justificando a morte de inocentes na periferia, por uma polícia brutal e brutalizada.

    • Foi instituída a pena de morte no Brasil quando? Quem aprovou? Certo ou errado, há procedimentos a se cumprir e tenho certeza de que nenhum deles é matar.

      • A pena de morte foi instituída a partir do momento em que se criou essa polícia assassina q temos hoje… A diferença é que, enquanto em outros lugares a pena de morte é dada pelo juiz, aqui é dada pelo verme

    • Ricardo, essa notícia não existiria se os policiais envolvidos no caso simplesmente respeitassem as leis que deveriam fazer valer.

    • Como aparentemente você não sabe ler, Ricardo, lhe explico: em primeiro lugar, o rapaz não foi acusado de crime algum – foi assassinado antes que pudessem fazer isso. Depois, a PM foi sim contatada pela reportagem, como mostra o texto – e respondeu que não tinha informações para oferecer.

    • Referente a esse assassinato aqui no grajau na sucupira. esse policias em geral sao porcos fardados nao respeitam ninguem . assassinos batem em pais de familia humilham as pessoas isso e a cara do brasil . justica so em bairro de rico . deveriam pagar um bonus a cada militar morto.

    • Ricardo, acredito que não leu o que os grandes jornais noticiaram sobre o caso – Com a mesma trivialidade na morte de um jovem negro da periferia (e existem dados aos montes mostrando a quantidade de jovens que morrem na mão da polícia) Parcialidade é colocar a “versão oficial” dada pelos PM’s sem ouvir a população, comumente feito pela grande mídia.

      Os policiais não entraram em um terreno baldio, de fato. E este é o problema: a forma como chegam nas comunidades com repressão tratando os moradores como vermes e tratando a manifestação como uma coisa banal.

      Precisamos ter mais cuidado em nossas palavras e em quem defendemos. O Grajaú já é oprimido demais para ainda ter pessoas defendendo instituições que não se preocupam conosco.

    • “A reportagem pediu explicações à Polícia Militar, à 1h44 desta quinta-feira (28). Às 3h22, a corporação respondeu que “a Polícia Militar esclarece, em nome da transparência que lhe é peculiar, que o respectivo pedido de informação não oferece tempo hábil para o devido levantamento acerca do fato noticiado.”

  2. Sempre o mesmo blá bla blá. .eu moro no Grajaú e o que vejo aqui é um antro de marginais, quem não deve não teme. Eu sou trabalhadora, estudante e dona de casa, mãe solteira diga-se de passagem e ralo pra ter minhas coisas, tudo santo….quem tiver achando ruim leva pra casa. Eu estou farta desses vagabundos.

  3. Engraçado o rapaz que foi tão agredido pela polícia não tem nenhum arranhão. Não convenceu. Jornalismo furado isso é sensacionalismo sim e não representa a categoria. Costuma-se averiguar os fatos antes de publicar desta forma.

    • Não dá pra saber o que é pior; Quem não conhece a realidade da periferia e defende a ação dos policiais ou uma MORADORA do local fazer o mesmo.
      É o fim.

  4. Seguinte, não sei se o garota era envolvido com algo mais desde já eu deixo aqui que a região tá muito perigosa.
    Uma quinta feira sofri um furto dois garotos em uma moto chegaram para me assaltar levaram meu celular só não me fizeram algo a mais porque do nada apareceu uma moça na rua gritando. se o garoto não tinha envolvimento deixo meu lamento a família agora se teve parabéns aos policias, se prender não tá dando jeito, se manda para a Febem não tem jeito tem que descer o tiro mesmo.

  5. Fato é que a policia não tem mais regras para agir….abordagem agora é com tiro…não defendo vagabundo pois cada escolhe o caminho que quer ou na pior das hipóteses por falta de estrutura (como esse menor que morreu) falo isso pois conhecia a vitima…mas, a PM do Brasil em geral é despreparada e atordoada…esses mulekes estão a serviço dos traficantes e policiais poderosos que deixam a droga correr solta nas periferias…depois matam um coitado e dizem que estão repreendendo o crime…isso nunca vai acabar…matam um muleke e dez aparecem no lugar dele pra vender, pois a miséria reina na periferia….

    • Isso mesmo, Sr. Não te interessa, acho que tem que descer tiro mesmo e queria que sua família morasse na região onde ocorreu o caso e a polícia batesse em todos eles sem motivo algum, arrastassem para o beco, batessem mais e mais e mais. é isso, tá certo.
      Pelo amor de Deus, Olha o que está acontecendo com o nosso país, parem de chorar o iphone roubado e lutem pela melhoria da educação! Isso sim resolve o problema; é melhor que qualquer cadeia e ninguém precisa morrer!

      • Essa gente escrota nunca foi na periferia (no máximo pra compra droga) e acha que sabe oq se passa por lá…
        Mano, vcs acham perigoso pq ROUBARAM UM CELULAR?!?!?!
        mano, e a PORRA DA PM QE MATA GENTE A TROCO DE NADA?!

  6. na vdd tem gente não mora no local não conhece o jovem acha que policia agiu certo esse era mas jovem tinha um imenso futuro pela frente teve um vida interonpidor pelo policial mal preparado acaba com uma vida esse jovem que eu sei era bom jovem não ser envolvia com nada era um garoto normal estudante e ia pra igreja era de familia os vcs acha quem mora em favela e bandido tem pensa ante de fala expressa

  7. Volta com seus amiguinhos para o mundo de bob, vocês são um bando de jornalista de sofá, não conhece as ruas, a maldade, nem a favela, e se acham no direito….
    Volta com seus amigos para seu mundo onde todos os jovens são anjos, querubins e cia.
    A policia não é perfeita porque somos homens sujeitos a erros como todos, mas só os nossos erros são noticia.
    Ninguém tem o direito a vida de outra pessoa mas temos sim o direito de defender a nossa vida a qualquer custo.

  8. Cara olha só de quem estamos nas mãos, policiais despreparados, invés de agir com a INTELIGENCIA agem com a VIOLÊNCIA!
    Isso é só mais um caso de muitos que ocorre pelo Brasil.

    Só treinados para nos servir, pagamos nossos impostos, que por vez se torna salario desse bando

  9. Ricardo, o que aconteceu foi exatamente isso. A policia entrou e matou sim, assim como matou 13 em Parelheiros dias atrás a esmo, atirando em quem passava na rua.
    Nós moradores da periferia sabemos que existe pena de morte pra quem vive aqui, pois não precisa ser bandido pra morrer. Não pedem minha carteira de trabalho pra darem na minha cara. A policia tem que ser punida e aprender a fazer seu trabalho.
    Nunca vou concordar que se um cara roubou ele deve morrer. Muito menos achar que se não tem informações, só serei a favor ou contra a punição quando souber se ele estava errado ou certo. Ninguém merece morrer por despreparo de um profissional. Quando um médico comete um erro todos se revoltam, acham absurdo o atendimento, etc, mas quando é um policial sempre tem A Suspeita, por favor, não é por ai.
    E as delegacias de São Paulo sempre não são nada confiáveis, até em caso de estupro, a vítima sempre é exposta, nunca quem está errado aparece ou é exposto. Raras vezes isso acontece e sempre você foi o culpado por aquilo acontecer.

    Esse jovem, sua família e nem a população deve pagar por um erro da policia. Bater na população que chega do trabalho, o que justifica isso? Matar um jovem que correu? Eu também correria, até porque correr na periferia é instinto de sobrevivência e não quer dizer que você é culpado de nada.

    Venha no grajaú e pare quando um policia apontar pra você ou atirar. Se você parar ou correr vai virar só mais um número, mas um suposto bandido morto por eles. E isso tem que acabar, não há o que justifique.
    Enquanto os meus estiverem morrendo estaremos revoltados sim.

    • A culpa não é da polícia, a culpa é do traficante que alicia cada vez mais meninos pra fazer seu trabalho sujo e também aquele que vem buscar as drogas pra tirar um barato, pois ele não é bandido é só pra relaxar, e assim queridos tiradores de barato vão matando os meninos que acham que por venderem drogas e serem chegados do traficante tem poder,então acredito que o culpado por todas essas mortes são esses vagabundos que aliciam crianças cada vez mais novas pra seu serviço podre e satisfazer quem só quer relaxar ou tirar um barato

  10. Por todas reportagens colocam adolescente negro e regra desse site sensacionalista que não devem ser jornalistas e sim picaretas.Acho que se você leva um tiro a policia manda parar e não para prega fogo quem não deve não teme e aqui ta cheio de adolescente bandido so quem ja teve arma apontada na cabeça sabe como é.Va ate a delegacia peça informações e outra conheço um monte de adolescente de 16 anos que uma hora dessa estava estudando ou trabalhando..Correu infelizmente deve…

    • Sr. Bla bla bla
      Sou jornalista, ponho meu nome e meu rosto no que escrevo. Não me acovardo atrás de nomes e emails falsos. Agora, que dívida justifica matar alguém?

  11. Chegar na favela e matar um é facil né. Mataram o Mlk porque ele correu, Mas é logico.
    Esse “Fermes” de farda, Que fazem um juramento para proteger a População e faz Ao contrario.
    Ai tem uns cara que nunca pego Onibus (Lotado) as 4:30 e quer falar merda só porque é da Favela, o Engraçado é quando alguem morre no Morumbi ou em bairros de luxo os Policias acham rapidinho né.
    Mas infelizmente é isso. Isso é Brasil

  12. Se a solução para ladrão fosse a pena de morte, Brasilia seria um grande cemitério nacional.
    Matar nossas crianças alienadas para o crime, por incompetência de todos, torna-se a melhor opção para eles, pois não tá nem ae pra gente…
    Se não fizermos parte nessa grande cadeia, dessa massa operaria, da mão de obra barata, que só favorece o rico, somos condenados a este tragico fim..

  13. Sério pessoal, deem uma lembrada no que ocorreu a mais ou menos um mês atrás nos EUA, um jovem foi assassinado e houve uma manifestação imensa com muita turbulência e vandalismo. Isto foi motivo para parar uma cidade inteira por causa de um jovem negro que foi morto pela polícia sem motivo, os policiais que estavam no local das manifestações não se quer levantaram um dedo pra população, aonde eu quero chegar, além de um jovem morar na periferia passando por tantos riscos do dia-a-dia os que deveriam zelar pelas vidas são os que matam, repreende e agridem moradores, não passo a mão na cabeça de policial nenhum, já morei muitos anos em periferia e sei como a polícia age, em vez de combater o tráfico e a violência, eles combinam acertos com traficantes e continuam o tráfico, prendem e matam usuários que são apenas almas perdidas vagando pela terra, vocês que estão a favor da morte desse jovem façam uma reflexão que mesmo que ele fosse um traficante mata-lo não seria a melhor solução a formos de repreender o jovem ainda não há pena de morte no Brasil, entendam. Quem eles realmente deveriam estar procurando seria a fonte de onde vem a droga, prendendo traficante vai ficar nesse descaso por décadas e mais décadas havendo jovens mortos e desiludidos pela vida criminosa que rende muito dinheiro a periferia, vocês que nunca moraram em uma comunidade pobre não sabem como é ser visto como criminoso apenas por habitar em um local periférico, eles se espelham em quem está mais próximo deles, há muitos bandidos que enriquecem com a vida do crime e os mais jovens olham isso como uma porta de entrada mais fácil para uma vida melhor, o certo é colocar mais escolas investir muito mais na educação e não investir em carros Hilux para policiais corruptos em quanto há milhares passando fome na periferia sem estudo, eu Oro todos os dias pela minha antiga comunidade e espero que um dia a população acorde e se revolte contra esse sistema fútil que temos hoje, o problema está mais do que nossos olhos podem ver, não pensem que as drogas surgiram do chão não minha gente, elas vieram por pessoas de má fé do poder legislativo, viram que a população jovem pobre iria viciar e morrer com drogas potentes pois ajuda o viciado a esquecer de problemas da realidade vivida ali no cotidiano difícil dos pobres, olhem a constituição, miséria não é vida, vida só é vida se não tiver miséria, vocês burgueses que só ficam sentado em frente ao seus computadores o dia todo comendo e bebendo bem e aplaudindo policial mal preparado espero que um dia vocês acordem e vejam que a vida vale muito mais do que vocês imaginam repensem e espero que tudo isso acabe um dia.

  14. eu morei no grajau 22 anos hoje moro no butanta
    posso dizer que no grajau tem pessoas otimas muita gente humild , porem honesta morei na sucupira 22 anos da minha vida , mais no brasil vc nascer crescer na favela , vc nao tem valor algum,, vc e lixo ,, mais posso dizer moro no butanta jd bonfiglioli bairro nobre , aqui tem muito mais gente ruim doque na favela sucupira amo esse lugar , mais infelismente nao tem segurança , vc esta vuneravel a isso , estive la tem uns 10 dias , tanta gente boa amigavel feliz, mais
    infelismente a sociedade acha q quem mora na favela , nao presta e ladrao , tudo errado pensamento d pessoas ridiculas , mente pequena pensamento d pessoas q nunca entraram em uma favela ,, os bandiddos nao estao na favela e sim em suas casas d luxooo , no poder roubando a a gente ,, coheço lusiz felipe vi ele crescer , coheço a familia pessoas honestas
    o pai do rapaz coheço muito bem tb , estive com ele a 10 dias tao feliz alegre em me ver , imagino como deve estar hoje
    morto por dentro perder um filho e a pior dor que c pode ter ,, tenho um filho de 8 anos ,, isso e um absurdo ,,,
    pessoas boas morrendo sendo mortas por quem devia nos defender , att marcos de lima santana

  15. Moro no Grajaú desde que me entendo por gente (tenho 30 anos). Trabalho, não me envolvo com gente errada e nunca fui abordado na rua por policiais por ser suspeito de alguma coisa. Esses jovens não querem saber de estudar e nem trabalhar, preferem ficar na rua se envolvendo com roubos, drogas, querem levar uma vida fácil às custas de pessoas de bem que suam o mês inteiro para ter o seu digno salário. Também estou farto desses bandidos e também das famílias deles que os tratam como santos. Que fique claro que não me refiro ao jovem que foi assassinado, pois não o conhecia, então não posso dizer se era uma pessoa de bem ou não.

  16. Bom, para as pessoas que acham que o site é sensacionalista, é simples, não leiam.

    Pois logo após o nome, já há uma descrição onde fica claro quais assuntos serão abordados aqui: ” segurança pública, justiça, e direitos humanos”; é só ler, está lá em cima.

    Quanto ao caso, o que acontece é que sim, há um despreparo de grande parte dos policiais, e em abordagens como esta, sempre reina o “ninguém viu nada”. Daí a palavra do policial sempre prevalecerá, óbvio.

    Agora, a culpa do despreparo do policial, não é culpa só dele. A culpa é da parte da corporação (que tem uma grande parcela de corruptos), e também pela corrupção em outra esfera, a política, pois devido a esses dois fatores entre outros, a polícia não tem como investir em bons treinamentos, em capacitar e “tranquilizar” o policial em ação, que além de ter uma baita profissão ingrata, onde vive a merce dos perigos quando em expediente, hoje mais do que nunca vive caçado por aí a fora, e tem que se esconder em suas horas de descanso, porque caso o contrário ele tem colocada a sua cabeça a prêmio, e sua família em risco.

    E quanto ao rapaz? Realmente uma pena! Afinal, mais uma vida foi ceifada logo no começo.
    E a culpa é de quem? Ele era bandido? O policial é que era bandido?
    Eu não sei, eu não estava lá.

    Em casos como estes, com certeza deve haver uma investigação (séria), para revelar, e caso seja comprovado, haja a punição dos culpados.

    Claro que vão dizer que no meu lugar é fácil falar, afinal estou em casa de boa, e não foi nenhum parente ou amigo meu que foi morto. Concordo; mas temos que ver o que fazer a seguir, porque hoje não foi comigo, Graças a Deus. Mas, e amanhã?

    Pode ser eu, ou você.

    O que sei, é que os nossos governantes são realmente os culpados, porque quem conhece a região sabe, que no Grajaú não há sequer uma INICIATIVA SÈRIA DO ESTADO para promover cultura, e cidadania para os moradores da região.
    Não há uma praça ondeos governos do estadual ou municipal promovam sarais ou shows, ou oficinas de teatro.
    Tais coisas, quando são elaboradas (não só no Grajaú, mas em qualquer periferia da capital), geralmente são proporcionadas por ONGS, ou Escolas de teatro/dança, bandas independentes, enfim, na verdade o Estado está CAGANDO tanto para o policial, quanto para a população dos bairros mais pobres.

    O PROBLEMA TODO É SOCIAL. Educação e esporte liberta o jovem de um destino como esse.
    Mas e o Poder público? O que pensa?
    Pensa: “Foda-se o filho da Maria diarista, e do João pedreiro. Destes aí eu só preciso do voto, depois não é assunto meu, afinal, depois de eleito, de lá ninguém me tira! Aliás, depois de eleito, ninguém me tira, ninguém me cobra, ninguém me fiscaliza, e com eles só me preocupo em fazer novas promessas daqui a quatro anos.”.

    Vai parecer clichê, mas na verdade, pra mim somos todos vítimas de um sistema que não funciona; onde quem está atualmente operando o tal sistema é podre.

    Se algo não for feito na raiz da questão, (Esferas: Estaduais, municipais e federal), caminharemos sempre em círculos, nesse ciclo de ódio em que vivemos, onde um mata o outro, quando deveriam se unir, e mudar os caras que literalmente gozam ás nossas custas (pegando o gancho do que rolou nesta semana, onde o deputado João Rodrigues (PSD-SC) , assistindo videos de conteúdos pornográficos, durante sessão na câmara.).

    Bem, a longo prazo a solução é essa, a curto prazo…me ajuda ae pô! Aceitamos, e carecemos de umas idéias!

Enviar um comentário

Contribua com a Ponte

Clique para doar