x

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

Após denúncia da Ponte Jornalismo, Justiça absolve ambulante preso injustamente

15/02/17 por Kaique Dalapola

Compartilhe este conteúdo:

Juiz considerou que não havia provas contra Wilson Rosa, que foi liberado na tarde desta quarta-feira (15/02)

Ambulante estava preso desde 13 de janeiro | Foto: arquivo pessoal

O vendedor ambulante Wilson Alberto Rosa, de 32 anos, foi absolvido por falta de provas depois de três horas de audiência que aconteceu na última terça-feira (14), no Fórum Criminal da Barra Funda, zona oeste de São Paulo. Ele foi preso pelo investigador da Polícia Civil Carlos Antônio Correia Filho, no dia 13 de janeiro, suspeito de ter roubado um tablet e um celular da esposa do policial em agosto de 2016.

Na ocasião, Wilson foi abordado pelo policial e preso em uma grade no cruzamento da avenida Ibirapuera com a rua Pedro de Toledo, na zona sul de São Paulo. De acordo depoimento do investigador Carlos à Polícia Civil, o policial teria tirado uma foto do ambulante e enviado via WhatsApp à esposa, vítima do assalto, para ser feito o reconhecimento.

Caramante

Wilson Alberto Rosa, 32 anos, foi libertado na tarde desta terça-feira (14/02) | Foto: Arquivo Pessoal

Foram ouvidos como testemunha de acusação o investigador Carlos, a esposa dele, vítima do assalto, e o policial civil Igor André Santos Machado. E pela defesa de Wilson, testemunharam Washington Moraes, que estava no dia da prisão, uma vizinha do réu e, ao final, o próprio ambulante foi interrogado.

“Ainda havia mais duas testemunhas de defesa, mas senti que não precisava mais ouvir ninguém e dispensei”, disse Sandro Ferreira Araújo, advogado do Wilson.

O vendedor ambulante estava desde o dia 19 de janeiro no CDP (Centro de Detenção Provisória) Guarulhos II. Antes disso, ficou detido na carceragem do 77º DP (Distrito Policial), na região central de São Paulo. Ele foi liberado na tarde desta quarta-feira (15).

Leia mais:

Família afirma que ambulante que trabalhava há quatro anos no mesmo lugar foi preso injustamente

Policial que prendeu ambulante é casado com mulher que fez reconhecimento

Moradores da periferia de SP vão à Paulista denunciar racismo na prisão de ambulante

Ambulante foi preso após reconhecimento irregular por WhatsApp

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo: