quem somos

A Ponte surge com uma proposta única no jornalismo brasileiro. Nossa missão é defender os direitos humanos por meio de um jornalismo independente, profissional e com credibilidade, promovendo a aproximação entre diferentes atores das áreas de segurança pública e justiça, com o objetivo de colaborar na sobrevivência da democracia brasileira. Criada em 2014, tornou-se em pouco tempo uma das principais referências no campo do novo jornalismo praticado por veículos nativos digitais do País, e o único focado em segurança pública e direitos humanos.

núcleo estratégico

Antonio Junião

Nascido em Campinas (SP), é formado em Educação Artística pela Unesp e faz jornalismo ilustrado desde 1994. Publica ilustrações e charges em veículos como Folha de S.Paulo, O Estado de S.Paulo, Veja e Courrier International (França). Como ilustrador, atua em sites, aplicativos e no mercado editorial. Ganhou o Salão Internacional de Desenho para Imprensa de Porto Alegre, em 2011, o prêmio Vladimir Herzog de 2005 e menção honrosa em 2006 (categoria artes), além do prêmio de cartuns sobre Aids do Ministério da Saúde, em 2004. Mora em São Paulo, onde também atua como músico e meio-campista do Pindorama F.C. – Futebol e Literatura, time de escritores e autores.

André Caramante

Repórter, atua com ênfase na área da Segurança Pública e dos Direitos Humanos. Trabalhou no Grupo Folha de S.Paulo por 14 anos e meio (Folha de S.Paulo, Agora SP e Notícias Populares), e também no Diário Popular. Colaborou com as revistas Rolling Stone, Quatro Rodas, Caras, Veja, Venice e Rock Press. Denunciou a existência de sete grupos de extermínio formados por policiais e ex-policiais. Entre 2002 e 2013, escreveu sobre cultura hip hop para o Agora SP. É autor do livro-reportagem “Aqui Dentro – Páginas de Uma Memória: Carandiru” e responsável pela edição de “Mães em Luta. Dez Anos dos Crimes de Maio de 2006”. Em 2011, recebeu o Prêmio Folha de Reportagem. Em 2012, o Prêmio Santo Dias. Em 2013, a Presidência da República concedeu-lhe o Prêmio Nacional de Direitos Humanos, a mais alta condecoração brasileira na área de direitos humanos. Atuou como repórter do Núcleo de Jornalismo Investigativo da Record TV, onde atualmente é chefe de redação. Também dirigiu o Portal R7. É um dos fundadores da Ponte Jornalismo.

Maria Elisa Muntaner

Formada em medicina veterinária, com pós-graduação em marketing e gestão de empresas. Tem forte experiência em planejamento estratégico, pesquisa de marketing e análises de mercado. Como freelancer, executou trabalhos como analista de pesquisa de mercado quantitativo para empresas como Sebrae e Canal Rural. Também atuou na Research International e na Bayer, como gerente de inteligência de mercado.

Fausto Salvadori

Formou-se em Jornalismo pela Unesp em 1999. Trabalhou como repórter em sites, revistas e jornais como Vice, Trip, TPM, Revista Adusp, Galileu, Folha.com, Agora SP, Jornal da Tarde, Metro, Revista Joyce Pascowitch e Criativa, entre outros. Durante alguns anos, manteve o blog Boteco Sujo. Desde 2008, é jornalista concursado da Câmara Municipal de São Paulo, onde trabalha como repórter da revista Apartes. Em 2013, recebeu Menção Honrosa no Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos, na categoria impresso, pela reportagem “Em busca da verdade”, publicada na Apartes.

núcleo editorial

Arthur Stabile

arthur_PB

Jornalista de Poá, São Paulo. Foi repórter esportivo no jornal Diário de São Paulo, atuando na cobertura cotidiana do Palmeiras. Acumula passagens pelas editorias Turismo, onde iniciou a carreira no Diário do Turismo e, posteriormente, atuou no Mercado & Eventos; e Política e Cotidiano, no Alto Tietê, tendo sido colunista do extinto jornal Notícias de Poá. Abordou a reinserção social de egressos do Complexo do Carandiru em seu TCC. Em 2013, publicou uma coluna sobre os protestos de junho no jornal Daily News, do Egito.

Caê Vasconcelos

Jornalista da Vila Nova Cachoeirinha, região periférica da zona norte de SP e homem trans em transição. É repórter das temáticas LGBTQ+ e direitos humanos. Produziu, de forma independente, o livro “Transresistência: Histórias de pessoas trans no mercado formal de trabalho” (2017), apresentado como trabalho de conclusão de curso da FIAM-FAAM. Em 2018, seu livro esteve entre os TCC’s apresentados no 13º Congresso Internacional da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). Fez parte do time de jornalistas da Agência Mural de Jornalismo das Periferias entre 2017 e 2019.

Daniel Arroyo

Daniel_PB

Fotógrafo, formou-se em artes visuais pela Belas Artes/FPA em 2007. Colaborador de diversos coletivos digitais.XX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX XX xx XX xx XXXX xx XX 

Jeniffer Mendonça

Formada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Foi repórter do portal da Câmara Municipal de São Paulo e passou pelas redações dos jornais Diário de S. Paulo e Agora São Paulo. Escreve para a Ponte desde novembro de 2017.xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx XX xx XX xx XX xx XX xx XX xxXX xx X xx

Maria Teresa Cruz

Formada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, nasceu no interior de São Paulo, mas vive na capital paulista desde 2004. Formou-se em artes cênicas pela Escola Técnica de Artes Recriarte. Já passou por redações da Editora Globo, Grupo Lance! e Grupo Bandeirantes de Comunicação, tendo ficado por 5 anos como repórter na BandNews FM. Passou também pela Rádio Brasil Atual, onde atuou como apresentadora e repórter. É educadora na Escola de Notícias, projeto de jornalismo comunitário no Campo Limpo, zona sul de SP. Trabalhou com ativação de projetos artísticos em comunidades. Escreve para a Ponte Jornalismo desde janeiro de 2015. Colaborou com a Revista Antropositivo, especializada em Teatro e Produções culturais.

in memoriam

Milton Bellintani

Jornalista e professor, foi editor na Editora Abril de 1987 a 2001 e editor-adjunto do caderno Cotidiano, do jornal Folha de S.Paulo, em 2002. Atuou com temas de Direitos Humanos, com foco na Verdade, Memória e Justiça. Foi diretor do Núcleo de Preservação da Memória Política, coordenador da Comissão da Verdade do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo e diretor-executivo da Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo. Coordenou o curso de complementação universitária Descobrir São Paulo – Descobrir-se Repórter, do Projeto Repórter do Futuro e foi ombudsman do Contraponto. Atuou em projetos de comunicação da Fundação Kellogg. Desenvolveu projetos para a inclusão de pessoas com deficiência. Ele nos deixou em 2015.

fundadores

André Caramante, Bruno Paes Manso, Caio Palazzo, Claudia Belfort, Fausto Salvadori Filho, Joana Brasileiro, Laura Capriglione, Luís Adorno, Maria Carolina Trevisan, Marina Amaral, Milton Bellintani, Natalia Viana, Paulo Eduardo Dias, Tatiana Merlino, Rafael Bonifácio e William Cardoso.

Comentários

Comentários