x

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

Antigo líder da Rota, Fernando Alencar Medeiros assume o comando da PM paulista

09/03/20 por Caê Vasconcelos

Compartilhe este conteúdo:

Novo comandante-geral da Polícia Militar, coronel já comandou a tropa mais letal da PM paulista; em sua posse, afirmou que pretende “cuidar das pessoas”

Coronel Fernando Alencar Medeiros (à dir.) ao lado do governador João Doria | Foto: Divulgação/Governo de São Paulo

O coronel Fernando Alencar Medeiros é o novo comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo da gestão João Doria (PSDB). Medeiros, que entra no lugar do coronel Marcelo Vieira Salles, está na corporação há 35 anos e já foi comandante do 1º Batalhão de Choque Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, a Rota, tropa mais letal da PM paulista.

Atualmente Medeiros ocupava o cargo de subcomandante da Polícia Militar. Ele foi promovido a coronel da PM em abril de 2017. Como comandante-geral da corporação, será responsável pelo comando e pela administração da PM, respondendo ao secretário-executivo da PM, coronel Alvaro Batista Camilo, e ao secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos.

O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (9/3) pelo governador e pelo general. O antecessor de Medeiros, coronel Salles, estava no cargo desde abril de 2018, quando assumiu o posto no governo de Márcio França (PSB).

Salles pediu transferência para a reserva da corporação. Entre os motivos apontados para a saída de Salles, comenta-se nos bastidores que pode ter relação com o anúncio da pré-candidatura de França à Prefeitura de São Paulo, anunciada na segunda-feira passada (2/3), em aliança PSB-PDT.

Leia mais:

Troca de comando da PM e novo ouvidor preocupam, diz especialista

‘Não somos culpados. O Estado é o único culpado pelo que aconteceu em Paraisópolis’

Doria se descola de Bolsonaro só no discurso; sua polícia comete 1 a cada 3 homicídios

Medeiros, em sua primeira fala, durante a coletiva de imprensa em que foi anunciado, afirmou que o papel da PM é cuidar das pessoas. “Nós temos protocolos para tudo, todas as nossas ações. A maior orientação que a gente passa aos policiais é serenidade e tranquilidade. Nós cuidamos de pessoas, isso é muito complexo e sério. A nossa obrigação como policiais é basicamente uma: cuidar das pessoas”.

O novo comandante da Polícia Militar é bacharel em Direito e Educação Física e possui mestrado e doutorado em Ciências Policiais de Segurança e de Ordem Pública.

Em 2009, em sua dissertação de mestrado, defendeu o tema “Segurança Pessoal de Dignitários na Casa Militar do Estado de São Paulo – Proposta de Roteiro de Planejamento“, pela PM, sendo orientado pelo Coronel PM da reserva José Francisco Braga.

Medeiros também foi instrutor de direitos humanos para forças de segurança na América Latina, pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha, e foi instrutor da Academia de Polícia Militar Barro Branco e da Escola Superior de Soldados.

Passou pelos seguintes batalhões da Polícia Militar: 4º Batalhão Metropolitano, 23º Batalhão Metropolitano e 33º Batalhão Metropolitano, além de ter sido comandante do 16º Batalhão Metropolitano.

Durante a mesma coletiva de imprensa, Dória elogiou o antigo comandante. “O coronel Salles foi leal, correto, dedicado, um grande comandante da Polícia Militar. Ao longo destes meses, com o general Campos e o coronel Salles, nós reduzimos os índices de violência aos menores da história”, disse Doria.

Já o coronel Salles agradeceu o governador. “Eu deixo o comando a uma pessoa excepcional, homem com experiência profissional invejável. Se há algum sucesso no nosso comando, eu devo muito ao Coronel Alencar. É nessa tradição que vamos fazer essa passagem, como a Segurança Pública merece”, anunciou o ex-comandante.

Em um vídeo divulgado pelo governo, Salles afirmou que sai realizado do posto. “Eu saio feliz, missão cumprida. Volto a ser Marcelo”.

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo: