Frei detido na Cracolândia pretende processar GCM por abuso de autoridade

Frei Agostino tira selfie na viatura | Foto: arquivo pessoal

Advogado de defesa explica que religioso chegou ao DP acusado de desacato, mas delegada considerou detenção arbitrária e o colocou como testemunha

Frei Agostino tira selfie na viatura após ser preso | Foto: arquivo pessoal

Durante a rotina de limpeza na Cracolândia, na Luz, centro de São Paulo, nesta terça-feira (23/1), o Frei Agostino, que atua na região pela Pastoral do Povo de Rua, foi detido depois de questionar a atitude de um agente da Guarda Civil Metropolitana (GCM), que revistava um morador de rua. “Eu considerei a abordagem truculenta e eu fui intervir para defender a dignidade dos irmãos de rua”, explicou André Luiz Pereira, nome de batismo do Frei Agostino.  Levado ao 77º Distrito Policial, que atende a área, o religioso foi acusado de desacatar a guarda civil e impedir o trabalho da polícia.

A delegada Silvia Fernanda Albiero, responsável por atender a ocorrência, considerou que a acusação ao frei não fazia sentido e o colocou como testemunha da detenção do desempregado Thiago Umberto Matias, acusado de tráfico de drogas por portar sete pedras de crack. Segundo o advogado do frei, José Beraldo, a prisão do religioso foi arbitrária e, por essa razão, vai entrar com uma ação contra a guarda municipal. “O que pretendemos é processar a GCM por abuso de autoridade”, explica Beraldo.

Frei Agostino testemunhou a respeito da detenção de Matias, dependente químico e morador da região. Para Beraldo, essa prisão e a acusação também foi abusiva. “A autuação do jovem por tráfico é absurda. Ele tinha sete pedras para uso próprio que ele comprou na cracolândia. Essa cracolândia é um absurdo, o prefeito [João Doria, PSDB] é um demagogo. Ali na região não tem tratamento para ninguém. Esse moço é um condenado pela sociedade”, desabafa o advogado. Thiago foi liberado após passar pela audiência de custódia nesta quarta-feira (21/1).

Procurada pela reportagem sobre a prisão do frei, a Secretaria Municipal de Segurança Urbana enviou a seguinte nota: “A Secretaria Municipal de Segurança Urbana esclarece que a GCM apoiava as equipes de limpeza de rotina na Alameda Dino Bueno, na tarde desta terça-feira (23/1), quando flagrou duas pessoas com drogas no local. Os detidos foram levados para o 77º DP, juntamente com uma testemunha que tentou impedir a ação”, sustenta.

Comentários

Comentários

Colabore com a Ponte!

Enviar um comentário

Contribua com a Ponte

Clique para doar

Catarse

feito por F E R A