Grupo realiza eventos para levar amor e alimentos às comunidades durante pandemia

31/05/20 por Maria Teresa Cruz

Compartilhe este conteúdo:

Movimento Leve Amor organiza palestras para arrecadar fundos e fazer doações para regiões pobres de São Paulo e Campinas

Movimento Leve Amor fez doações para comunidade em SP e Campinas | Foto: Divulgação/mov.la

“Que história você vai querer contar da sua vida?” Foi após ouvir esse questionamento em uma palestra do navegador e escritor Resultados da pesquisa Amyr Klink que Giancarlo Pontello, de 32 anos, ficou refletindo sobre o que poderia fazer para contribuir para fazer um mundo melhor. 

Um ano depois do evento, em janeiro de 2020, com as enchentes que atingiram famílias pobres em São Paulo, Giancarlo iniciou o mov.la (Movimento Leve Amor), para contribuir com doações e outros tipos de apoio para população das periferias, principalmente na capital paulista e Campinas interior do estado. 

“Acreditamos que o amor é a principal ferramenta para mudar o mundo e garantir que as nossas próximas gerações tenham um mundo melhor. Porque quando a gente tem o amor como guia dos nossos princípios, conseguimos criar, desenvolver e implementar sistemas de mudanças benéficos para toda uma sociedade, para os seres humanos e meio ambiente”, diz o fundador do projeto. 

Os primeiros passos do movimento aconteceram logo depois das enchentes causadas pelas fortes chuvas de verão e falta de investimentos públicos nas áreas mais pobres das cidades. Em seguida, chegou no país a pandemia do novo coronavírus. O trabalho do mov.la, portanto, ganhou ainda mais força nesse cenário. 

Durante esses cinco meses de existência, o projeto realizou algumas atividades, entre elas palestras e eventos esportivos, para colocar em evidência as campanhas de arrecadações online. Todas doações feitas por meio dessas vaquinhas, são revertidos em alimentos entregues para instituições que atuam em bairros das periferias de São Paulo e Campinas. 

Assim que o projeto começou, o movimento arrecadou doações para entregar às vítimas das enchentes na capital paulista por meio de um treino de corrida em Campinas. A segunda campanha de arrecadação do mov.la aconteceu no período entre o Carnaval e a Páscoa. “A ideia da ‘Quaresma do Amor’ é que, em vez de fazer algo para você, fizesse para o próximo. Então cada dia se separa um item para doar e, no final, cada pessoa teria 40 itens para levar para outras pessoas”, explica Giancarlo. 

Durante a quaresma, a pandemia se tornou a principal preocupação no país e, consequentemente, a maior obstáculo na vida da população mais pobre. Pensando nisso, o Movimento Leve Amor organizou três eventos para arrecadar fundos e contribuir com a Agência Solano Trindade, que atua na área cultural com jovens do Capão Redondo, na zona sul da cidade de São Paulo, e com a ONG Casa da Criança Vovô Nestor, que atua com crianças na periferia de Campinas. 

“A gente acredita que existem três pilares do amor: o espiritual, o próprio e o com o próximo”, afirma Giancarlo. E os eventos são baseados nesses pilares. O primeiro evento em tempos de coronavírus foi focado no amor espiritual e amor ao próximo, tendo como objetivo sensibilizar as pessoas sobre a necessidade de combater a desigualdade em meio à crise. No segundo, a palestra foi falando sobre as formas de gerar menos impacto ao meio ambiente neste momento de isolamento social e que as pessoas estão mais em casa. 

E o terceiro, que aconteceu na manhã deste domingo (31/05), o artista visual e grafiteiro Gustavo Nénão falou sobre a arte para os participantes da palestra que aconteceu via Zoom (plataforma de reuniões online). Após o evento, o artista iniciou uma pintura que será sorteado entre os doadores da nova campanha de arrecadação do mov.la.

O sorteio da tela acontece no próximo dia 7 de julho. Para concorrer, as pessoas devem doar na vaquinha — sendo que a cada R$ 25, o doador ganha um número. Para saber mais detalhes, acesse a vaquinha online do projeto.

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo: