Nove advogados foram assassinados em um mês no Brasil

Crimes aconteceram em sete estados diferentes e a maioria das vítimas atuava na área criminal; em dois casos, os profissionais foram executados na frente da família

Câmeras de segurança gravam execução do advogado André Ambrósio Ribeiro Pessoa | Foto: reprodução

Ao menos nove advogados foram assassinados em vários estados do Brasil em praticamente um mês. A maioria das vítimas foi morta a tiros e atuava na área criminalista. A onda de atentados contra os profissionais do Direito preocupa e assusta a categoria em todo o país. As mortes ocorreram nos estados de São Paulo,
Espírito Santo, Goiás, Bahia, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte. E isso sem contar a morte de uma advogada no Paraná, no último domingo, da qual o marido é o principal suspeito, além dos assassinatos de outros dois advogados no Amazonas e em São Paulo, em maio e abril deste ano.

Nesta segunda-feira (23/7), o advogado Rubens de Azevedo Maia, 62 anos, foi encontrado morto com tiros na cabeça, nuca e nas costas no município de São José de Mipibu, região metropolitana de Natal. Segundo a Polícia Civil, Maia foi sequestrado por criminosos quando chegava em casa, em Parnamirim.

O advogado Emerson Vieira, 42 anos, foi morto a tiros na frente das filhas de 8 e 12 anos. O crime aconteceu no último dia 21, em Vila Velha, no Espírito Santo. Policiais civis apuraram que Vieira cuidava dos preparativos da festa de aniversário de uma das filhas quando sofreu o atentado.

No município de Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza, dois advogados foram assassinados no intervalo de uma semana. Renato Jorge Rocha Bezerra Filho, 35 anos, foi encontrado no dia 17/7 com marcas de tiros em várias partes do corpo. Ele estava com as mãos amarradas. Sete dias antes, o advogado Francisco Erivaldo Rodrigues, 33 anos, foi executado a tiros por três homens em seu escritório. Ele era policial civil e foi vereador em Caucaia.

O criminalista Sérgio Beze Prates, 44 anos, foi assassinado a tiros também no último dia 17, quando estava em seu carro com um cliente no bairro São Judas Tadeu, em Goiânia. Dois homens ocupando um carro de luxo atiraram e fugiram. O advogado morreu na hora. O cliente dele ficou ferido e foi levado para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira.

No município pernambucano de Caruaru, André Ambrósio Ribeiro Pessoa, 47 anos, foi morto a tiros após ser abordado por um homem no último dia 12. O advogado morreu na frente da filha de um ano. Em Feira de Santana, município baiano distante 118 km da capital Salvador, a advogada Silvia da Silva Carvalho, 56 anos, foi sequestrada e encontrada morta a tiros na noite de 27 de junho.

Ela havia acabado de sair de seu escritório, em frente ao Complexo Policial de Sobradinho, quando sofreu emboscada de quatro homens em um carro. O advogado Kléber Martins de Araújo, 60 anos, também atuava na área criminalista. Na tarde de 20 de junho, ele foi morto com cinco tiros em seu escritório na cidade de Campos de Jordão, no Vale do Paraíba. Pelo menos um dos disparos atingiu a cabeça da vítima. Araújo ainda foi levado para um hospital da região.

Uma semana antes, no dia 13, foi a vez do advogado Nilson Aparecido Carreira Mônico, 60 anos, ter o escritório invadido por criminosos, em Presidente Venceslau, no oeste do estado de São Paulo. Mônico foi baleado três vezes e morreu na Santa Casa de Misericórdia da cidade. A Polícia Civil apurou que o crime foi motivado por uma dívida trabalhista.

Procurada pela Ponte para comentar os casos, ocorridos em um intervalo de menos de cerca de 30 dias, a OAB federal (Ordem dos Advogados do Brasil) ainda não se pronunciou.

Outros casos

Na estatística dos nove advogados mortos em um mês não estão incluídos outros três casos. Um deles aconteceu no último domingo. A advogada Tatiane Spitzner, 29 anos, foi encontrada morta após cair de um prédio em Guarapuava, região central do Paraná. A polícia suspeita que ela foi vítima de feminicídio. O marido de Tatiane, Luís Felipe Manvailer, foi preso. Ele diz ser inocente e alega que a mulher se jogou do apartamento no 4º andar.

No dia 5 de maio deste ano, o advogado e ex-deputado estadual Armando de Oliveira Freitas, 79 anos, foi baleado três vezes por dois homens em seu escritório, no bairro São Raimundo, zona oeste de Manaus. No dia 26 de abril de 2018, o advogado Jonatas Fernando Venturini da Silva, 32 anos, outro criminalista, foi fuzilado na porta de sua casa, em Atibaia, no interior paulista.

Comentários

Comentários

Colabore com a Ponte!

Enviar um comentário

Contribua com a Ponte

Clique para doar

Catarse

feito por F E R A