x
Legenda Teste

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

PM é preso sob suspeita de comandar chacina que matou 4 jovens em Carapicuíba (SP)

24/09/15 por Luís Adorno e André Caramante

Compartilhe este conteúdo:

Policial Douglas Gomes Medeiros, do 20º BPM (Batalhão da Polícia Militar), foi preso por ordem judicial da Justiça comum e será encaminhado ao Presídio Militar Romão Gomes após passar por exame de corpo de delito
Da esquerda para a direita, José, Douglas, Carlos e Matheus

Da esquerda para a direita, José, Douglas, Carlos e Matheus

O policial militar Douglas Gomes Medeiros, do 20º BPM (Batalhão da Polícia Militar), com sede em Barueri, na Grande São Paulo, foi preso temporariamente na manhã desta quinta-feira (24) sob suspeita de ser o mandante da chacina que deixou quatro adolescentes mortos em Carapicuíba no último sábado (19).

O suspeito agiu, de acordo com a investigação, para se vingar de um roubo que ele acreditava ter sido praticado pelas vitimas contra sua mulher. Outros três homens são investigados sob suspeita de ter ajudado o militar a atirar contra os quatro jovens, que eram entregadores de pizza e foram mortos na porta do trabalho.

Matheus Morais dos Santos, de 16 anos, seu irmão, Douglas Bastos Vieira, também de 16, e seus vizinhos Carlos Eduardo Montilia de Souza, 18, e José Carlos Costa do Nascimento (conhecido como Cleiton), 17, foram executados rua Rodamis Creti, altura do número 185. Uma outra pessoa foi baleada, mas conseguiu fugir do atentado correndo.

Segundo o juiz Luiz Alberto Moro Cavalcante, do TJM (Tribunal de Justiça Militar), “o referido PM foi preso por ordem judicial da Justiça comum – e não da Justiça Miitar”. Por isso, “será encaminhado ao Presídio da Polícia Militar Romão Gomes, na zona noite da cidade, após passar por exame de corpo de delito (mera rotina de recolhimento de preso)”.

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo:

>