PM mata vizinho idoso por causa de água potável em Itapecerica da Serra (SP)

29/02/20 por Caê Vasconcelos

Compartilhe este conteúdo:

Vítima já teria denunciado o PM Silvio Lima da Silva duas vezes na Delegacia Geral do município; segundo a Secretaria de Segurança, o soldado confessou o crime e está preso

O caso foi registrado na Delegacia Geral de Itapecerica da Serra | Foto: Caê Vasconcelos/Ponte Jornalismo

Um desentendimento por causa de água teria sido a motivação de uma briga entre dois vizinhos que terminou com uma morte em Itapecerica da Serra, na região metropolitana da cidade de SP, na última terça-feira (25/2).

Na quinta-feira (27/2), o soldado PM Silvio Lima da Silva, 30 anos, confessou que matou o vizinho identificado como Armando, 67, depois que os dois brigaram por causa da água potável de um poço que dividiam. Silva está preso no Presídio Romão Gomes desde sexta-feira, após passar por audiência de custódia.

Segundo informações da Polícia Militar de São Paulo, o PM afirmou que a relação dos dois não era boa e que era mal tratado todas as vezes que ia buscar água, já que em sua residência não há abastecimento desse item básico para viver. Ainda de acordo com a polícia, o soldado declarou que chegou a oferecer dinheiro para usar o poço que fica no terreno da vítima.

Leia mais:

Como três vendedores passaram de vítimas a suspeitos de roubo em posto em SP

‘Disse pra minha filha que o pai dela virou anjo’, diz mulher de vendedor morto por guarda civil

PM mata guarda durante briga de vizinhos no réveillon

Na terça-feira de carnaval, ainda segundo as informações da PM, Armando teria ido na direção do policial com uma faca. Para desarmá-lo, o PM teria dado um golpe de imobilização no pescoço com os braços, conhecido como “mata-leão”. O golpe foi fatal. Então, Silvio decidiu jogar o corpo de Armando em uma fossa na sua casa e cobrir com uma placa de concreto e uma caixa d’água.

O idoso já havia ido à delegacia duas vezes nas últimas duas semanas para denunciar o policial. Na primeira vez, informou que um homem que usava roupa cinza e se identificou como policial militar havia entrado em sua casa e o ameaçado.

Alguns dias depois, Armando teria voltado à delegacia, dessa vez completamente machucado. Ele relatou que o mesmo homem havia voltado em sua casa e se identificado: era o PM Silvio. Por conta das desavenças, quando o senhor Armando foi dado como desaparecido, no dia 25 de fevereiro, o delegado Luís Roberto Farias decidiu intimar o PM, que confessou o crime.

A Ponte esteve na Delegacia de Itapecerica da Serra neste sábado (29/2) para saber detalhes da investigação, mas foi informada que o funcionamento durante o final de semana é em esquema de plantão e que mais informações deveriam ser obtidas junto aos órgãos oficiais, a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) e a PM.

Outro lado

Procurada pela reportagem, a SSP-SP, por meio da assessoria terceirizada InPress, informou que a Delegacia de Itapecerica da Serra instaurou inquérito policial para apurar o caso e confirmou que o policial confessou o crime. A Ponte solicitou à SSP-SP o contato da defesa do PM Silvio, mas não obteve resposta.

“Ele foi indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver, permanecendo preso no Presídio Militar Romão Gomes. O autor também responde a um processo administrativo pela corporação”, afirmou a pasta.

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo: