x

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

PMs acusados de participar do Massacre do Carandiru irão à júri novamente

11/04/17 por Josmar Jozino

Compartilhe este conteúdo:

A decisão foi tomada nesta terça-feira (11) por desembargadores da 4ª Câmara Criminal do TJSP durante julgamento de recursos do caso. Em setembro do ano passado, o órgão havia anulado os júris que condenaram os policiais envolvidos na carnificina

Movimentos sociais promovem ato em memória para relembrar os 24 anos do Massacre do Carandiru, em 6 de outubro de 2016, em São Paulo. Foto: Sérgio Silva

Os 74 policiais militares acusados de participar do Massacre do Carandiru, em outubro de 1992, quando 111 presos foram mortos por homens da Tropa de Choque, vão enfrentar um novo júri. A decisão foi tomada hoje por quatro votos contra um por desembargadores da 4ª Câmara Criminal do TJSP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) durante julgamento de embargos infringentes do caso Carandiru.

Embargos infringentes são recursos cabíveis quando a decisão de uma apelação não tem votação unânime. Em 27 de setembro do ano passado, a 4ª Câmara Criminal do TJSP havia anulado os júris que condenaram os policiais militares envolvidos na carnificina. Os PMs tinham sido condenados em cinco julgamentos realizados entre os anos de 2013 e 2014.

Na ocasião, o relator do processo, desembargador Ivan Sartori, havia votado pela anulação dos júris e absolvição dos PMs. Sartori se baseou nos advogados dos policiais militares, que alegaram que seus clientes haviam agido em legítima defesa.

Leia mais:
Filha de vítima do Massacre do Carandiru processa SP por posição de desembargador
TJ-SP anula julgamentos que condenaram PMs envolvidos no Massacre do Carandiru
Massacre do Carandiru: “Detentos que entregaram armas saíram ilesos”
Carandiru: “Decisão injustificável”, critica sobrevivente sobre anular julgamentos
Entidades repudiam anulação de julgamentos do Massacre do Carandiru
PM envolvido no Massacre do Carandiru é nomeado por Serra ao Itamaraty
Depois das Grades – As cicatrizes de quem passou pelo Carandiru
Magistrado que anulou júris do Carandiru condenou rapaz por furto de 8 chocolates

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo: