x
Legenda Teste

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

Polícia Civil faz reconstituição do caso João Victor, morto na porta do Habib’s

28/04/17 por Kaique Dalapola

Compartilhe este conteúdo:

Simulação considerou versões dos funcionários do Habib’s e também a de uma testemunha que afirmou que menino apanhou

Supervisor (sorrindo na imagem) testemunhou sobre o dia da morte de João Victor – Foto: Reprodução

A Polícia Civil realizou, na terça-feira (25/04), a reconstituição simulada dos fatos que causaram a morte do menino João Victor Souza de Carvalho, 13 anos, no dia 26 de fevereiro, em frente à unidade da rede fast-food Habib’s da Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte de São Paulo.

Dois laudos periciais realizados no corpo de João Victor apontaram que a causa da morte foi uma parada cardiorrespiratória devido ao uso de drogas.

No entanto, imagens de câmeras de segurança mostram Guilherme Francisco do Santos e Alexandro José da Silva, supervisor e gerente do Habib’s, respectivamente, perseguindo e arrastando o menino, o que seria, segundo a família de João Victor, um indício das agressões que o adolescente sofreu antes de morrer.

Filmagem mostra funcionários do Habib’s arrastando João Victor
Novo vídeo mostra João Victor se desentendendo com funcionário do Habib’s

Em nota, a assessoria de imprensa da SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) informou que a reconstituição considerou as duas possibilidades de causa da morte de João Victor. Uma é o jovem ter sido agredido pelos funcionários da lanchonete, conforme testemunhou a catadora de material reciclável, Silvia Croti, 59 anos. A outra é a versão do gerente e do supervisor do Habib’s, que negam ter agredido o garoto e afirmam que ele sofreu parada cardiorrespiratória depois de sair correndo de frente da lanchonete.

“Dois peritos participaram dos trabalhos e fizeram as perguntas que julgaram pertinentes, sendo um contratado pela família do garoto e um pela empresa”, afirmou a assessoria da SSP-SP, que também informou que o laudo será anexado ao inquérito policial em andamento no 28º DP (Freguesia do Ó).

Testemunha Silvia Croti aponta local onde João Victor teria sido agredido por funcionários do Habib´s – Foto: Reprodução

A assessoria do escritório FC Advogados, que presta serviço à família de João Victor, afirma que o ponto em comum entre as duas versões das testemunhas é que o menino estava “espumando pela boca quando caiu no chão”. A defesa do garoto acredita que isso pode apontar que houve uso de “força extrema” de João Victor para escapar dos funcionários.

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo:

>