Policial atira em grávida de 5 meses e mata bebê em SP

    Segundo SSP, motociclista teria desobedecido ordem de PMs para ser abordado, no entanto, Polícia Civil aponta que moto não apresentava irregularidades

    Rua onde o motociclista teria desobedecido a PM e policial atirou, acertando a mulher e matando o bebê | Foto: Reprodução/Google Street View

    Uma mulher grávida de cinco meses perdeu o bebê ao ser baleada por um policial militar em São Paulo. O caso aconteceu no sábado (22/12) no Jardim Ângela, zona sul da capital paulista.

    De acordo com informações da SSP (Secretaria da Segurança Pública), a mulher estava em uma motocicleta como garupa. O motorista teria se recusado a parar a moto quando um PM deu ordem, ainda segundo a fala oficial. Foi quando houve o disparo.

    “Um homem de 20 anos foi preso em flagrante após desobedecer ordem de parada e quase atropelar um policial militar, na madrugada deste sábado (22), na Rua Paolo Porpora, Jardim Ângela”, sustenta a pasta, em nota.

    O B.O. (Boletim de Ocorrência) aponta que a moto não apresentava irregularidades em seus documentos, nem que era roubada. A PM registrou ocorrência pro desacato e o homem foi liberado.

    A mulher foi socorrida ao Hospital Municipal Moises Deustch, no M’Boi Mirim, não sendo divulgadas informações de seu estado de saúde. Na chegada ao local, constatou-se a morte do bebê por conta do tiro.

    O policial envolvido na ocorrência está detido no Presídio Militar Romão Gomes, local onde PMs acusados ou condenados por crimes cumprem suas penas. A investigação do caso está com o 47º DP (Distrito Policial), no Capão Redondo.

    Comentários

    Comentários

    Já que Tamo junto até aqui…

    Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

    Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

    Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

    Ajude

    mais lidas