Ponte vence Prêmio Vladimir Herzog por reportagem sobre Favela do Moinho

Minidoc em áudio foi produzido a partir de efeméride do assassinato de Leandro de Souza Santos, no dia 27 de junho deste ano, por policiais da Rota

Moradores da Favela realizam protesto por morte de Leandro | Foto: Sérgio Silva/Ponte Jornalismo

A reportagem “Moradores do Moinho falam em rotina de repressão da PM, um mês após morte de jovem”, de Claudia Rocha com sonorização de Emerson Ramos, venceu a 39ª edição do Prêmio Vladimir Herzog, um dos mais importantes da área de direitos humanos, na categoria produção em áudio. O formato da matéria era um mini documentário de áudio, com cerca de 15 minutos, que se aproxima do formato dos podcasts, populares na imprensa estrangeira, o que diferenciou dos demais concorrentes, que traziam séries em capítulos, veiculadas em rádio em um formato mais tradicional.

A repórter Claudia Rocha tomou contato com a pauta pelo factual, quando Leandro havia sido assassinado, no dia 27 de junho. “Eu e toda a imprensa chegamos lá no local com a informação de que estava tendo uma operação policial na favela por causa da cracolândia. A gente foi para lá com pouca informação. Só sabia que havia morrido um menino e a polícia estava pressionando. Àquela altura alguns moradores já estavam revoltados e tinha fechado a avenida Rio Branco para um protesto”, explica.

Para ela, o que mais chocou na cobertura foi a arbitrariedade e as sucessivas violações de direitos. “O Leandro foi morto com os familiares dele na porta. A Lucimar, que era única testemunha, tinha desaparecido, porque ela foi levada pra prestar depoimento, mas a família não tinha contato com ela”, lembra Claudia. “No dia do assassinato, chamou atenção a crueldade. Os instrumentos que foram retirados depois da cena do crime que configuravam tortura. Além da versão da polícia, de que o Leandro tinha morrido no hospital, quando todo mundo da favela, as testemunhas, contaram que ele foi tirado sem vida de lá, pelos fundos da comunidade, em uma viatura descaracterizada. Essas histórias que a gente sabe que acontece nas periferias, mas que quando estão na nossa frente a gente sente que precisa contar”, disse.

No velório do Leandro, quando Claudia conseguiu um contato mais próximo com familiares, ela decidiu que a história tinha fôlego para um mini documentário. Como freelancer, ofereceu o trabalho para ser veiculado na Ponte. “A Ponte foi o veículo que eu imaginei que teria mais identificação pela cobertura de direitos humanos e por ser um veículo com credibilidade para fazer uma denúncia desse peso. Então assim, toda coleta dos personagens, a riqueza de detalhes, tinha tudo a ver com a Ponte pelo que ela se propõe”.

Além do trabalho vencedor, a Ponte apareceu entre os finalistas na categoria charge com a ilustração do Junião, que você confere abaixo:

Confira lista completa dos vencedores:

CATEGORIA ARTE

Vencedor
Simanca
“Massacre do Carandiru”
Jornal A Tarde – Salvador/BA

Menção Honrosa
Bruno Nobru, Ciro Barros e Julio Falas
“Ricardo Silva, executado pela PM”
Agência Pública – São Paulo/SP

CATEGORIA FOTOGRAFIA

Vencedor
Fábio Teixeira
Foto de abertura da reportagem “Tiroteios, mortes e invasões dominam o Complexo do Alemão”
VICE – São Paulo/SP

Menção Honrosa
Nelson Antoine
Foto de abertura da reportagem “Prefeitura retira sem-teto de viaduto em SP”
Portal da Band – São Paulo/SP

CATEGORIA ÁUDIO

Vencedor
Claudia Rocha
“Moradores do Moinho falam em rotina de repressão da PM, um mês após morte de jovem”
Ponte Jornalismo – São Paulo/SP

Menção Honrosa
Gabriel Jacobsen e Daiane Vivatti
“Histórias invisíveis”
Rádio Guaíba – Porto Alegre/RS

Menção Honrosa
Hebert Araújo
“Dar à luz a dor”
Rádio CBN João Pessoa – João Pessoa/PB

CATEGORIA MULTIMÍDIA

Vencedor
Ângela Bastos, Aline Fialho, Chico Duarte, Felipe Carneiro, Julia Pitthan, Maiara Santos, Ricardo Wolffenbüttel
“Sozinhas: histórias de mulheres que sofrem violência no campo”
Diário Catarinense – Florianópolis/SC

Menção Honrosa
Thiago Reis, Alexandre Nascimento, Alexandre Mauro, Beatriz Souza, Fabíola Glenia, Glauco Araújo, Igor Estrella, Kleber Tomaz, Marcelo Brandt, Mariana Mendicelli, Rodrigo Cunha, Rogério Banquieri, Sávio Ladeira e Wagner Santos
“Mapa da homofobia em SP”
G1 – São Paulo/SP

CATEGORIA TEXTO

Vencedor
Patrick Camporez Mação, Luísa Torre e Marcelo Prest
“Especial Quilombolas”
Agência Pública – São Paulo/SP

Menção Honrosa
Adriana Bernardes e Renato Alves
“Brasília Confidencial”
Correio Braziliense – Brasília/DF

Menção Honrosa
André Borges e Werther Santana
“Cerco aos isolados”
O Estado de S. Paulo – São Paulo/SP

CATEGORIA VÍDEO

Vencedor
Bruno Della Latta, Cláudio Guterres, Nunuca Vieira e Renata Ceribelli
“Quem sou eu?”
TV Globo – São Paulo/SP

Menção Honrosa
Gabriela Pimentel, Domingos Meirelles, Heleine Heringer, Natália Fiorentino
“O inferno de Lidiany”
TV Record – São Paulo/SP

A cerimônia de entrega do Prêmio Vladimir Herzog acontece no dia 31 de outubro, às 20h, no Tucarena.

Comentários

Comentários

Enviar um comentário

Contribua com a Ponte

Clique para doar

feito por F E R A