‘Repórteres que falam em Cracolândia são uma fraude’, diz Carl Hart

Para cientista americano, referência mundial no debate sobre drogas, o maior problema de regiões como a Luz, em São Paulo, não é o crack: é a pobreza

A Cracolândia não existe para o professor Carl Hart, neurocientista da Universidade Columbia, nos EUA, referência mundial no debate sobre drogas, racismo e pobreza. Segundo o cientista, basta passar alguns minutos na região do centro de São Paulo apelidada de Cracolândia para perceber que as pessoas sofrem com a pobreza, o racismo e transtornos psiquiátricos, e que todos esses problemas são muito mais graves do que o consumo de alguma droga.

“Há muitos outros problemas acontecendo naquele local além das drogas. Então, se algum repórter ou conglomerado de mídia fala de crack em primeiro lugar, essa pessoa é uma fraude, ela é desonesta e não se importa com as pessoas do seu país”, afirma o cientista. Na mesma entrevista, ele critica as propostas de internação compulsória para dependentes químicos: “Como um adulto, você tem o direito de fazer mal a si mesmo”.

Hart falou com a Ponte na última vez em que visitou o Brasil, em setembro, para participar de um evento que reuniu os jovens da plataforma Movimentos, a agência Solano Trindade e a Iniciativa Negra por uma Nova Política de Drogas no espaço Aparelha Luzia, no centro de São Paulo. 

Comentários

Comentários

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

mais lidas