‘Repórteres que falam em Cracolândia são uma fraude’, diz Carl Hart

1 minutos atrás

Para cientista americano, referência mundial no debate sobre drogas, o maior problema de regiões como a Luz, em São Paulo, não é o crack: é a pobreza

A Cracolândia não existe para o professor Carl Hart, neurocientista da Universidade Columbia, nos EUA, referência mundial no debate sobre drogas, racismo e pobreza. Segundo o cientista, basta passar alguns minutos na região do centro de São Paulo apelidada de Cracolândia para perceber que as pessoas sofrem com a pobreza, o racismo e transtornos psiquiátricos, e que todos esses problemas são muito mais graves do que o consumo de alguma droga.

“Há muitos outros problemas acontecendo naquele local além das drogas. Então, se algum repórter ou conglomerado de mídia fala de crack em primeiro lugar, essa pessoa é uma fraude, ela é desonesta e não se importa com as pessoas do seu país”, afirma o cientista. Na mesma entrevista, ele critica as propostas de internação compulsória para dependentes químicos: “Como um adulto, você tem o direito de fazer mal a si mesmo”.

Hart falou com a Ponte na última vez em que visitou o Brasil, em setembro, para participar de um evento que reuniu os jovens da plataforma Movimentos, a agência Solano Trindade e a Iniciativa Negra por uma Nova Política de Drogas no espaço Aparelha Luzia, no centro de São Paulo. 

Comentários

Comentários

Enviar um comentário

Contribua com a Ponte

Clique para doar

feito por F E R A