PM integrante do Policiais Antifascismo é executado no RN

João Maria Figueiredo, que fazia segurança da governadora eleita, Fátima Bezerra, voltava para casa quando foi baleado cinco vezes na cabeça; colegas citam ‘inimigos dentro e fora da corporação’.

Investigador denuncia perseguição na polícia após se manifestar contra Bolsonaro

‘O que mais dói é ter sido chamado de traidor. É o contrário. Queremos repensar o sistema para ter uma polícia melhor’, diz Alexandre Félix, que integra o Movimento Policiais Antifascismo.

Contribua com a Ponte

Clique para doar

Catarse

feito por F E R A