Caso Marielle: crime de ódio é amadorismo incompatível com um matador, diz promotor

Luiz Antônio Ayres acredita que é difícil sustentar uma condenação apenas com tese de que assassino agiu com raiva; em entrevista à Ponte, promotor também fala sobre a expansão de grupos paramilitares: ‘a milícia é o futuro do crime organizado’.