‘Tô filmando, vacilão’: jovem usa celular para enfrentar violência policial

02/06/20 por Arthur Stabile

Compartilhe este conteúdo:

Caso aconteceu no Imirim, bairro na periferia da zona norte de São Paulo, quando um morador viu dois PMs agredindo uma mulher durante abordagem

Dois policiais militares são filmados enquanto tentam imobilizar um homem no Imirim, bairro na periferia da zona norte da cidade de São Paulo. O caso aconteceu em 11 de maio, segundo a PM.

Usando a viatura de número M-09007, do 9º Batalhão da PM, os policiais agridem uma mulher e um morador, que testemunha a cena, decide começar a gravar com o celular.

Leita também: ‘Você pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta’, diz morador de Alphaville para PM

“Vai encostar a mão no cara por quê, vacilão? Estou gravando, gravo mesmo. Tem nada para fazer não, comédia? Tem nada para fazer não, seu vagabundo do caralho? Seu verme”, grita o homem que filma a ação. Um dos policiais se preocupa com o registro, mas as agressões não cessam, e ainda dão rasteira em um homem que tentam imobilizar.

Logo depois de tentar derrubar novamente o homem abordado no chão, um dos PMs desiste de imobilizá-lo, saca sua arma e aponta para as pessoas.

Policiais abordam com truculência (esq.), apontam arma (centro) e agridem mulher (dir.) | Foto: Reprodução

Em seguida, o policial começa a andar em direção ao rapaz que registra a abordagem. No meio do caminho, o PM começa a andar na direção do outro rapaz, ao lado. “Você vai me agredir?”, questiona o morador.

Leia também: Artigo: Sou policial e fui filmado durante uma abordagem. E agora?

“Vai encostar a mão no cara, seu vacilão? Bateu na mulher, seu arrombado”, reage a pessoa que filma os PMs. Ao chegarem em uma esquina, novamente o PM saca a arma. “Vai, atira aí”, diz quem registra as imagens, enquanto dois rapazes correm dos policiais.

Segundo a corporação, os dois policiais agiram desta forma “quando foram agredidos” enquanto realizavam patrulhamento. “Ao abordar os agressores os policiais foram hostilizados por moradores e familiares dos abordados”, defende a PM.

Construa a Ponte!

Segundo a corporação, o caso foi registrado no 38º DP (Vila Nova Cachoeirinha). Contudo, a PM não especificou à reportagem qual foi a tipificação.

Questionada sobre a ação policial, a Secretaria da Segurança Pública, chefiada pelo coronel João Camilo Pires de Campos neste governo João Doria (PSDB), não respondeu ao pedido feito para sua assessoria de imprensa terceirizada, a InPress.

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo:

>