x
Legenda Teste

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

Veja os documentos que mostram como PMs de SP mentiram para encobrir as execuções de 2 jovens

14/09/15 por André Caramante

Compartilhe este conteúdo:

11 PMs estão presos por matar a tiros os amigos Paulo Henrique Porto de Oliveira, 18 anos, e Fernando Henrique da Silva, 23. Crimes ocorreram na tarde de 7 de setembro e foram gravados por câmeras de segurança e telefone celular

Leia aqui os registros com as versões dos PMs de SP para tentar encobrir execuções de 2 jovens

Vídeo mostra como PMs executaram Paulo Oliveira

Caramante

Paulo Henrique Porto de Oliveira, 23 anos, foi morto por PMs de SP após ser rendido

Os PMs que tiveram a prisão temporária (por 30 dias) decretada pela Justiça por matar Paulo Oliveira são Tyson Oliveira Bastante, 26 anos, e Silvano Clayton dos Reis, 31, ambos da 3 Companhia do 23 Batalhão da PM, Mariani de Moraes Figueiredo, Silvio André Conceição e Jackson Silva Lima. A reportagem não localizou os advogados de defesa dos cinco militares.

Imagens feita por um celular mostram a captura de Fernando da Silva

 

Caramante

Fernando Henrique da Silva tinha 18 anos e foi jogado do alto de um telhado por um PM. Depois da queda, ele foi baleado quatro vezes por outros PMs

Flavio Lapiana de Lima, Fabio Gambale da Silva, Angelo Felipe Mancini, Paulo Eduardo de Almeida Hespanhol, Samuel Paes e João Maria Bento Xavier são os militares investigados pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), da Polícia Civil, pela morte de Fernando da Silva. Seus defensores não foram localizados nesta segunda-feira (14/09) pela reportagem.

Saiba mais:
Mais 6 PMs de SP são presos por armar farsa para encobrir execuções de 2 jovens

 

 

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo:

>