PonteCast: 80 tiros, o silêncio do presidente e as execuções extrajudiciais

No episódio 9, falamos sobre a ação do Exército no Rio que terminou com a morte de um músico negro de 51 anos, o educador social que ficou preso injustamente e foi inocentado, e as novidades no caso dos Crimes de Maio.

Polícia prende ex-policial civil que sequestrou enteado de Marcola, líder do PCC

Augusto Peña foi condenado a 22 anos de prisão por sequestrar Rodrigo Olivatto de Morais com a ajuda do também ex-policial José Roberto de Araújo; ação foi um dos estopins para os ataques de maio de 2006

O Estado no banco dos réus: MP pede indenização a 564 vítimas dos Crimes de Maio

Ação civil pública, no valor de R$ 154 milhões, pede que governo indenize as famílias de 505 civis vítimas do Estado, em maio de 2006, e de 59 agentes públicos mortos em ataques do PCC que o governo sabia que iriam acontecer.

23 minutos atrás

‘Vivo neste vazio da não resposta’, diz irmã de vítima dos Crimes de Maio

Paulo Alexandre desapareceu em maio de 2006, durante ofensiva do Estado em resposta a ações do PCC em SP; Francilene lembra que maiores vítimas foram, como sempre, os ‘corpos matáveis’ das periferias.

9 minutos atrás

Após 7 anos de recursos, Justiça mantém condenação do Estado por Crimes de Maio

Instâncias superiores mantém decisão da Justiça de SP por danos morais e pagamento de pensão de um terço de salário mínimo para Débora da Silva, fundadora das Mães de Maio. Agora, Estado não pode mais recorrer.

Cordão da Mentira e Mães de Maio protestam contra dez anos de impunidade

Em ato no centro de Sao Paulo, grupos lembraram os Crimes de Maio de 2006 e pediram Justiça pelos mortos no período democrático ”Eles não…

7 minutos atrás

O encontro de Débora, das Mães de Maio, com Rute Fiuza

Negras, pobres e guerreiras, elas dividiram a mesa de debates que abriu o Primeiro Encontro Internacional de Vítimas do Estado, promovido pelo Movimento Independente Mães…

2 minutos atrás

7 anos depois, Janot pede federalização de chacina dos Crimes de Maio

Procuradoria-Geral da República levou sete anos para levar adiante pedido, feito em 2009, para que Polícia Federal investigue chacina ocorrida no Parque Bristol. Janot afirma que investigações do crime em São Paulo cometeram “falhas e omissões gravíssimas”.

Contribua com a Ponte

Clique para doar

Catarse

feito por F E R A