Massacre do Carandiru: eventos cobram justiça e reparação

Entidades e movimentos sociais realizam atividades nesta semana como cine-debate, roda de conversa e intervenções artísticas para lembrar e cobrar responsabilização por 111 mortos

Banner do evento Inventário do Carandiru: 30 anos do massacre | Imagem: divulgação

Para lembrar os 30 anos do Massacre do Carandiru, diversas organizações e entidades da sociedade civil marcaram eventos para discutir a falta de responsabilização do Estado e os efeitos que a chacina de 111 presos gerou nas políticas de segurança pública e do sistema prisional no país e, especialmente, em São Paulo. Justiça e reparação para vítimas e familiares são os principais temas da mobilização.

O dia do massacre, 2 de outubro, coincidiu com o primeiro turno das eleições de 2022 e, por isso, a programação desses eventos foi designado ou para antes da data ou para a semana seguinte.

Um deles é o Inventário do Carandiru: 30 anos do massacre, organizado por diversas comissões da Ordem dos Advogados do Brasil seção São Paulo (OAB-SP), movimentos sociais e entidades, entre os dias 3 e 8 de outubro. A programação vai ocorrer em diversos espaços, de forma presencial, e vai contar, no dia 8, com uma intervenção artística dentro do Parque da Juventude, no bairro de Santana, na zona norte da capital, no perímetro onde ficava o Pavilhão 9, local em que se deu o estopim do massacre.

Dentre as atividades, estão a exibição de filmes com debate, apresentação de pesquisas sobre o assunto (como a das indenizações de familiares feita pelo Núcleo de Estudo sobre o Crime e a Pena da FGV), discussão sobre encarceramento em massa, violência estatal e justiça restaurativa. Pesquisadores, artistas, ativistas, sobreviventes e egressos do sistema prisional estarão presentes.

Ajude a Ponte!

O evento é gratuito e mediante inscrição. No site, a OAB-SP sugere a doação em dinheiro para uma campanha de arrecadação de brinquedos para o mês da criança que serão distribuídos para instituições cadastradas (que podem ser consultadas aqui). A doação não é obrigatória nem requisito para participar. Para acessar a programação do evento sobre o massacre e se inscrever, clique aqui.

Para quem perdeu, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) disponibilizou no canal do YouTube a íntegra do seminário Massacres e(m) Democracias: 30 anos do massacre do Carandiru, que aconteceu na última quarta-feira (28/9). As mesas tiveram participações de sobreviventes da chacina, egressos do sistema prisional, pesquisadores, artistas e ativistas que discutiram também sobre como a violência e o extermínio são práticas recorrentes como política de Estado. A organização é dos Programas de Pós-Graduação de Ciência Política, Antropologia Social, Ciências Sociais e Sociologia, e o Núcleo de Estudos de Gênero (Pagu).

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude
Inscrever-se
Notifique me de
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

mais lidas

0
Deixe seu comentáriox