Perseguição da PM na Grande SP termina com dois mortos: um atropelado e outro a tiros

    Entregador de comidas morreu após ser atropelado por carro que fugia da polícia. PM ainda matou um dos suspeitos na fuga e prendeu outros três

    Motocicleta ficou destruída após acidente em perseguição | Foto: Reprodução/Facebook

    Uma perseguição da Polícia Militar entre os municípios de Suzano e Itaquaquecetuba, na região metropolitana de São Paulo, terminou com duas pessoas mortas na madrugada de sábado (17/7). Uma das vítimas é o entregador Rafael Kim, 21 anos, atropelado pelo carro que fugia, e o outro é um suspeito de roubo identificado como Marcelo de Oliveira Souza, 18, morto com tiros da polícia. 

    De acordo com as informações registradas na delegacia de Itaquaquecetuba, um grupo com três homens e uma mulher, com idades entre 18 e 23 anos, roubou um Ford Ka, celulares e peças de roupas de diferentes vítimas em Suzano e foram sentido Itaquaquecetuba no carro roubado. No caminho, cruzaram com uma viatura da PM, que começou uma perseguição. 

    Já em Itaquaquecetuba, guardas civis municipais viram os PMs atrás do carro e começaram a participar da perseguição também, conforme relataram em depoimento à Polícia Civil. 

    Leia também: Motorista chega do trabalho, dá café aos vizinhos e é morto pela PM com tiro nas costas, dizem amigos

    A fuga do veículo roubado só acabou quando bateu em duas motocicletas. Em uma estava o entregador Rafael, que morreu no local, e na outra estava um motociclista de 32 anos, que foi socorrido e levado ao Pronto Socorro do Hospital Santa Marcelina, no próprio município. 

    Depois do acidente com as motocicletas, os quatro que estavam no carro teriam descido e tentado fugir a pé. Três deles foram capturados pelos policiais, enquanto o quarto, identificado como Marcelo, teria ido sentido a uma área de mata foi morto. A PM diz que ele reagiu à abordagem e trocou tiros. Na Polícia Civil, os policiais militares apresentaram um revólver calibre 32 atribuído ao jovem. 

    Segundo registro na Polícia Civil, um dos detidos foi reconhecido pelas vítimas, uma outra estava com celulares e outros materiais roubados e o terceiro preso, embora não tenha sido apresentado nada diretamente contra ele e as vítimas não o tenham reconhecido, vai responder pelos crimes porque também estava na fuga. 

    O caso foi registrado como roubo, homicídio e lesão corporal culposos na direção de veículo automotor (atropelamento sem intenção), morte decorrente de intervenção policial e legítima defesa. 

    Comentários

    Comentários

    Já que Tamo junto até aqui…

    Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

    Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

    Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

    Ajude

    mais lidas