x
Legenda Teste

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

PonteCast | Garantia de emprego para pessoas trans como bandeira de luta

01/02/20 por Ponte Jornalismo

Compartilhe este conteúdo:

No episódio 51, falamos com três mulheres trans e travestis sobre inserção no mercado formal de trabalho

Empregabilidade. Essa é uma das bandeiras mais importantes do movimento trans. Muitas empresas se dizem diversas, mas ainda não possuem pessoas trans no quadro de funcionários. Em homenagem ao Dia Nacional da Visibilidade trans, conversamos com mulheres trans e travestis para contar a importância da contração de pessoas T.

Da esquerda para a direita, Gabriela Augusto, Monique Rodrigues e Yggy Escobar| Foto: Felipe Sesoko/Caio De Giovani/Transcendemos Consultoria

Yggy Escobar, 23 anos, foi a primeira funcionária trans da W3haus, uma agência de publicidade com escritórios em São Paulo e em Porto Alegre (RS). Depois, foi a vez da contratação da travesti Monique Rodrigues, 29. Ambas integram a equipe de criação da agência. O resultado foi bom para a empresa e bom para as funcionárias. Com a chegada das funcionárias T, as discussões criativas ganharam força (mais vivências plurais, mais qualidade nas entregas).

Ouvimos também Gabriela Augusto, diretora do Transcendemos, consultoria de diversidade corporativa, que trouxe um lado importante: para contratar uma pessoa T, a empresa precisa se preparar antes. A sócia da agência que contratou as duas meninas trans, Larissa Magrisso, trouxe a visão da empresa depois da contratação do time realmente diverso.

Solta o som!

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo:

>