Responsáveis pela morte de ambulante serão julgados por Tribunal do Júri

Ambulante Luís Carlos Ruas tinha 54 anos e foi morto na noite de natal dentro do Metrô de SP – Foto: Arquivo Pessoal

Juiz entendeu que há indícios mínimos de que os réus espancaram Luiz Carlos Ruas até a morte, em dezembro do ano passado

Ambulante Luiz Carlos tinha 54 anos e foi morto na noite de natal | Foto: Arquivo Pessoal

Os réus Alípio Rogério Belo dos Santos e Ricardo Nascimento Martins foram pronunciados nesta sexta-feira pelo juiz Roberto Zanichelli Cintra, da 1ª Vara do Júri. Na prática, o processo continua, já que os réus serão julgados pelo Tribunal de Júri, mas a decisão é importante, porque o magistrado entendeu que há indícios suficientes para que ambos respondam por homicídio doloso — quando há intenção de matar — qualificado e por tentativa de homicídio, já que agrediram uma travesti. Na noite de natal do ano passado, o vendedor ambulante Luiz Carlos Ruas, de 54 anos, foi morto com golpes de soco inglês e chutes  depois de defender a travesti, que estava sendo perseguida pela dupla.

No início do ano, o TJSP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) havia arbitrado pagamento de indenização à mulher de Ruas, no valor de R$ 2,2 mil.

As câmeras de segurança da estação Pedro II gravaram toda a ação e os dois foram presos.

Ainda não há data para o julgamento.

Outro lado

Os advogados de defesa de Alípio e Ricardo, Marcelino Nunes Pinho e Valdo de Oliveira Farias, foram procurados por telefone pela reportagem da Ponte, mas não atenderam as 3 tentativas de ligações.

Comentários

Comentários

Enviar um comentário

Contribua com a Ponte

Clique para doar

feito por F E R A