Universitário é espancado em estação de trem pelo chefe da segurança. Veja o vídeo

3 minutos atrás

Estudante de Direito Arthur Damascena da Silva, de 20 anos, agredido por seguranças na estação Barra Funda - Foto: Reprodução

Rapaz desobedeceu ordem de não sentar no chão e deixou o celular gravando quando percebeu que seria abordado

Estudante de Direito Arthur Damascena da Silva, de 20 anos, agredido por seguranças na estação Barra Funda – Foto: Reprodução

“Socorro, Socorro! Eu não estou fazendo nada. Eu estou indo pra faculdade, eu sou estudante! Eu não tô fazendo nada!”, gritou no início da noite de terça-feira (07/02) o estudante de Direito Arthur Damascena da Silva, de 20 anos, após um longo dia de trabalho. O jovem decidiu não ir à faculdade para resolver uma pendência pessoal. No fim do dia, chegou cansado ao terminal Barra Funda e, enquanto a namorada não chegava, resolveu sentar-se no chão, encostado na parede e ouvir música.

Um segurança da estação se aproximou e fez a primeira advertência. Afirmou ao estudante que, sentado no chão, o passageiro atrapalharia o fluxo das pessoas que precisam passar por ali. Silva afirmou que julgou o argumento “fraco” e resolveu continuar sentado, afinal, não havia pessoas trafegando na direção em que ele estava sentado. A segunda advertência veio com o chefe da segurança do local. O vídeo fala por si só. Assista:

Arthur é puxado do local onde está sentado por um segurança e pelo chefe que, inclusive, não está identificado com uniforme. Durante todo o tempo, Arthur carrega o celular na mão, que registra imagens e a fala de todos. Repare que, no começo do vídeo, o agressor se identifica como policial: “Levanta daí, vai, vai… Aqui é polícia!”.

O estudante de Direito se desespera quando é arrastado e empurrado contra o chão. Em certo momento, o celular de Arthur fica de canto e é recolhido por um dos seguranças. A gravação pessoal para por ali, mas um dos populares que acompanhava a cena também resolve gravar. Veja: 

É possível ver uma multidão acompanhando sem entender ao certo o que está acontecendo. Uma mulher resolve questionar os policiais, pois, nesse momento, o chefe da segurança já pressiona a cabeça de Arthur contra o chão usando o joelho: “Vai quebrar o pescoço do cara, meu!”, grita. E insiste: “O que que vocês estão fazendo?!”.

Um dos agentes responde: “Não estamos fazendo nada, senhora”. Ela replica: “Mas por que estão levando ele? Você é polícia desse jeito, com essa postura?”. Momentos antes, a postura de outro policial que aparece no vídeo também assusta. O homem que gravou esse vídeo esbarra em um dos policiais, que de bate pranto, adverte: “Tira a mão de mim, irmão. Tira a mão de mim, se não você vai que nem ele!” 

DENÚNCIA

Arthur afirmou em depoimento à Polícia Civil que os policiais levaram ele para um corredor e o espancaram. “Eles estava tentando me levar pra um corredor mas, antes de chegar lá, um dos policiais que estavam tentando me conter falou com essas palavras: ‘agora você vai apanhar’ e me ofendeu, me xingou de otário”, diz.

“Me levaram até o corredor e eu sofri agressões. De dois a três socos no peito e um soco na costela”, complementa. O estudante de Direito complementou afirmando: “Ele [segurança] me ameaçou, que se eu contasse pra alguém, as coisas iam ficar feias”.

Em nota, a CPTM disse que vai apurar o caso. O delegado responsável pelas investigações afirmou que vai usar as câmeras de segurança para apurar a agressão. 

Comentários

Comentários

Colabore com a Ponte!

Enviar um comentário

Contribua com a Ponte

Clique para doar

Catarse

feito por F E R A