Delegada denuncia PMs da Rota por tentativa de agressão dentro de delegacia em SP

Discussão começou quando militares estavam no estacionamento do 6º DP com três adolescentes e um homem, sem apresentar ocorrência à Polícia Civil

Foto: Luis Augusto Pacheco Ambar/Divulgação/PMSP

Policiais Militares da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, a tropa de elite da PM paulista) estão com três jovens e um homem no estacionamento de um DP (Distrito Policial). Sem saber do que se trata, a delegada questiona a presença sem autorização e um dos PMs a ‘peita’: “Quem é você? Quem disse que eu preciso de autorização?”. A discussão começa e termina com uma tentativa de agressão. Esta cena aconteceu na tarde desta terça-feira (17/7), no 6º DP, localizado no Cambuci, centro de São Paulo.

A vítima é a delegada Sabrina Rodrigues de Almeida, do 8º DP, localizado na região do Brás, mas que faz plantão no prédio do 6º DP. Ela registrou uma ocorrência contra os PMs Gledson, que foi quem a teria ‘peitado’, e Ederson, que, segundo a policial civil, apontou o dedo em sua cara e, “aos berros passou a dizer que ela era “grossa, mal educada e você não manda em mim!””, de acordo com o B.O. (Boletim de Ocorrência).

“Gledson investiu contra a Autoridade Policial [delegada] somente não sendo agredida por intervenção da investigadora Daliane”, relata Sabrina. A ocorrência incluiu dois investigadores, que interviram na discussão da delegada com dois dos quatro policiais da Rota que estavam no estacionamento. Os demais são Alyson Domingos e Alisson Guimarães. Eles estavam com a dupla que brigou com a delegada, mas não se envolveram diretamente na discussão. Nas viaturas da tropa sempre andam quatro policiais.

O tenente da PM Alisson, responsável por comandar os demais, tentou acabar com a discussão, mas Ederson teria ofendido um investigador da Polícia Civil, que tentou ajudar a delegada.

No relato, a delegada aponta que acionou a Corregedoria da PM para relatar “desrespeito” e “agressão verbal” por parte da dupla. De acordo com o documento, nenhum oficial da Corregedoria do órgão se apresentou ao local até a assinatura do B.O.. “Resta enfatizar que dois policiais militares da ROTA investiram em claro desrespeito contra a Delegada de Policia, sendo que a compleição física é
claramente desproporcional” , sustenta Sabrina.

Questionada pela Ponte, a SSP (Secretaria da Segurança Pública), através de sua assessoria de imprensa terceirizada, a InPress, explicou que “a divergência entre policiais militares e uma delegada, ocorrida na terça-feira (17), no 6º Distrito Policial, foi resolvida” e “as condutas dos policiais Civis e Militares será apurada”. A pasta não confirmou nem desmentiu as ofensas ou a tentativa de agressão.

As seguintes perguntas, até o momento, não foram respondidas pela SSP nem pela PM, também questionada pela reportagem:

O que os PMs da Rota faziam no estacionamento do 6º DP?
O procedimento adotado pelos rotarianos, em abordar suspeitos em um estacionamento de delegacia sem apresentar a ocorrência à Polícia Civil, está correta?
Qual a versão dos policiais militares envolvidos sobre a desinteligência com os policiais civis?
Como a SSP e a PM se posicionam sobre as acusações da delegada, que diz ter sido ofendida e quase agredida pelos PMs da Rota?
Confirmada as agressões verbais, quais possíveis sanções disciplinares aos PMs Ederson e Gledson, também acusado de tentativa de agressão?
É comum ocorrerem desinteligências como esta entre policiais militares e civis?

Comentários

Comentários

Colabore com a Ponte!

Enviar um comentário

Contribua com a Ponte

Clique para doar

Catarse

feito por F E R A