x
Legenda Teste

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

Moradores da Ocupação 9 de julho recebem treinamento que salvou vidas na Prestes Maia

12/12/18 por Fernando Poffo, especial para Ponte

Compartilhe este conteúdo:

Ana Flores ensina voluntariamente técnicas de prevenção e combate a incêndio para evitar tragédia como a que aconteceu em maio deste ano no Paissandu

Ana Flores explica como manusear um extintor | Foto: Mathilde Missioneiro/Ponte Jornalismo

No último domingo (9/12), os moradores da Ocupação 9 de Julho, no Centro de São Paulo, receberam o treinamento de prevenção e combate a incêndio para evitar uma tragédia como a que aconteceu no edifício Wilton Paes de Almeida, no Paissandu, que desabou em razão de um incêndio de grandes proporções no dia 1º de maio, deixando 7 mortos e 171 famílias desalojadas.

O treinamento foi oferecido voluntariamente pela bombeiro civil Ana Flores, que passou a se engajar nessa causa justamente depois da tragédia no Paissandu. “Segurança e combate a incêndio precisa fazer parte da cultura das pessoas”, declarou a bombeiro.

Leia também

Ocupação Prestes Maia resistiu a incêndio com prevenção, organização e afeto

‘Sem prevenção, Prestes Maia seria uma nova Paissandu’, afirma bombeiro

Estudante de arquitetura no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, Ana conta que foi levada a uma reunião pela sua professora, a doutora Débora Sanches, que é membro do Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos, também voluntariamente, que presta assessoria técnica aos movimentos de moradia do centro de São Paulo.

Ana Flores realiza o treinamento de forma voluntária | Foto: Mathilde Missioneiro/Ponte Jornalismo

No curso oferecido na 9 de julho, onde vivem quase 500 pessoas de 162 famílias, Ana fez uma apresentação teórica sobre prevenção e combate, com exemplos de grandes incêndios em edificações do Brasil, como os edifícios Joelma, Andraus e a Boate Kiss, com imagens fortes e explicando os erros cometidos e as causas da tragédia, explicando como poderiam ter sido evitadas.

A bombeiro ainda usou como exemplo a bem-sucedida ação dos moradores da Prestes Maia no incêndio que aconteceu no sexto andar do Bloco A da ocupação, no último dia 21 de novembro, quando o fogo não se alastrou e não houve mortes.

Moradores da ocupação 9 de julho participam de treinamento para prevenção de incêndio | Foto: Mathilde Missioneiro

“Quando eu cheguei lá na Prestes Maia no dia do incêndio, todo mundo veio me falar que fez exatamente como eu tinha falado e deu tudo certo: ligaram alarme, desligaram a energia, usaram os extintores, chamaram os bombeiros e saíram em ordem pelas escadas”, lembrou Ana.

“Seria bom que todas as ocupações fizessem esse treinamento”, indicou o líder da Prestes Maia, João Batista.

A reportagem da Ponte foi à Prestes Maia na ocasião e ouviu os moradores, que relataram os fatos contados pela Ana e ainda disseram ter seguido outras dicas que ela também passou na 9 de julho, como contou a merendeira Lucilene Aparecida França, que lembrou de molhar os panos que usou para cobrir suas crianças e escapar do incêndio.

Moradora tira dúvidas com Ana sobre a parte teórica do curso | Foto: Mathilde Missioneiro/Ponte Jornalismo

 

Na explicação teórica, Ana deu dicas de sobre como identificar e evitar sobrecarga da rede elétrica, como fazer a manutenção de quadros de energia e até detalhes básicos como o de não acumular lixo e o de não vestir o botijão a gás com panos foram passados, sempre tirando as dúvidas que surgiram durante a apresentação. Casos curiosos e perigosos como o erro de prender o disjuntor que insiste em cair e até do uso de extintor para lavar corredor ou desentupir ralos foram exemplificados.

Agora vamos para prática: moradora dispara extintor com auxílio de Ana | Foto: Mathilde Missioneiro/Ponte Jornalismo

Já em relação a combate ao fogo e ações em caso de incêndio, ela destacou os procedimentos indicados para a respiração em eventual incêndio, o uso de tecidos molhados, a opção por agachar durante eventual fuga para evitar a fumaça acumulada nas partes mais altas, a evacuação rápida e em ordem, além do combate ao fogo com o extintor correto, de água ou pó. Depois da teoria, Ana levou os cerca de 50 participantes do treinamento para a área externa para o uso de extintores – a ocupação conta com 38 extintores espalhados por andares e galeria.

Ana explica ao morador como destravar o extintor | Foto: Mathilde Missioneiro/Ponte

“É muito necessário! Vale para as pessoas terem o contato com o extintor, que muitas das pessoas nunca tinham tido, e a gente descobre coisas simples também. Eu mesmo pensava que ir para o banheiro, onde tem água, podia ser bom, mas ela mostrou que na Boate Kiss isso foi um problema e falou dos riscos da fumaça. Foi muito bom para todos os moradores”, elogiou Priscila Pâmela, coordenadora na Ocupação 9 de Julho.

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo:

>