Após reportagem da Ponte, Sabesp inicia obra no Jardim Elizabeth, periferia de SP

Moradores estavam há 5 dias sem água durante pandemia da Covid-19; companhia iniciou obra para restabelecer água para mais de 300 famílias

Sabesp iniciou obra emergencial após reportagem denunciando falta de água na periferia da zona leste da cidade de SP | Foto: Reprodução/Associação de Moradores do Jardim Elizabeth

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), empresa de economia mista que tem como maior acionista o governo João Doria (PSDB), iniciou uma obra de emergência no Jardim Elizabeth II, bairro periférico da zona leste da cidade de São Paulo, na noite desta quarta-feira (22/4).

A obra, que deveria ter começado em janeiro, foi iniciada após reportagem da Ponte com a denúncia de que 300 famílias estavam sem água há mais de 5 dias. A promessa da Sabesp é que todas as ruas do bairro serão incluídas na rede provisória, que facilitará o abastecimento de água na região.

Sabesp apresentou documento apontando que todas as ruas do bairro serão atendidas | Foto: Reprodução/Associação de Moradores do Jardim Elizabeth

Segundo a companhia, as obras devem ser concluídas em 2 meses e fazem parte do Programa Água Legal, que leva estrutura de abastecimento a habitantes de áreas irregulares (após obtenção das autorizações legais necessárias). Tudo será feito em parceria com a Prefeitura.

Além disso, por conta da pandemia, a Sabesp instalou na quarta-feira (22/4) um reservatório de 5 mil litros de água para a utilização emergencial.

“Até agora a água não voltou, mas eles estão trabalhando o dia inteiro. Eles informaram que a água vai chegar em todas as casas com essa rede de abastecimento, até as casas que ficam na parte de cima”, informou à reportagem, nesta quinta-feira (23/4), o assistente jurídico Douglas Alves Mendes, 43 anos, morador e integrante da Associação de Moradores do Jardim Elizabeth II.

Responda à pesquisa Jornalismo e coronavírus

O Jardim Elizabeth, contam os moradores, existe há oito anos e é um terreno de ocupação que está em fase de regularização. Para a luz e a água chegaram ao local, os moradores tiveram que brigar com o poder público. O problema da falta de água é antigo, mas, segundo relatos, piorou desde o começo do ano.

A zona leste é a região mais afetada pela pandemia do coronavírus, com 499 óbitos (suspeitos e confirmados), de acordo com levantamento da Secretaria Municipal da Saúde e da Prefeitura da cidade de São Paulo, a partir dos dados mais recentes divulgados no último dia 16.

A Ponte recebeu diversos vídeos contando como tem sido o dia a dia sem abastecimento durante a crise da Covid-19, sem água para lavar as mãos ou para beber.

A cada dois dias, a dona de casa Laís Guimarães, 31 anos, precisa sair de casa com três galões para buscar água na casa da sua mãe, que mora em São Bernardo, no ABC Paulista, a oito quilômetros de distância. Ela já está sem água há cinco dias.

Leia também: ‘Como lavar as mãos sem água?’, perguntam 300 famílias na periferia de SP

“A gente tá sofrendo muito com a falta de água, agora na pandemia piorou muito. Eu tenho um bebê de 1 ano e dois meses, então preciso de água para tudo”, conta.

“Eu tenho carro, mas e quem não tem gente próxima? Fica mais difícil ainda. Não estamos pedindo nada demais, só que a Sabesp faça o mínimo e nos forneça água potável. É muito difícil, tem horas que dá muito desespero, não tem água nem para fazer comida”, desabafa Laís.

Comentários

Comentários

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

mais lidas