x
Legenda Teste

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

Conheça as regras para a volta das visitas presenciais em presídios de SP

06/11/20 por Arthur Stabile

Compartilhe este conteúdo:

Familiares precisam seguir uma série de medidas para entrar e permanecer nas unidades: não ir de mochilas, bolsas ou levar comida para o preso e o contato físico é proibido

Centro de Detenção Provisória de Pinheiros é uma das unidades com a retomada das visitas | Foto: Arthur Stabile/Ponte

O final de semana dos dias 7 e 8 de novembro marca a retomada das visitas presenciais aos presos no estado de São Paulo. Depois de oito meses impedidas pela pandemia, as famílias verão os seus entes queridos. Para isso, é preciso seguir uma série de regras.

A SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) impôs condições para diminuir os riscos de contágio do coronavírus durante a entrada de pessoas nas penitenciárias e centros de detenção.

Leia também: Justiça de São Paulo derruba liminar que impedia visitas presenciais em presídios

Os familiares terão direito a duas horas dentro do presídio, com limitação de apenas uma pessoa para cada preso. A ideia é evitar aglomeração. É obrigatório usar máscaras desde a entrada até o momento da saída.

Durante a visita, parentes e presos não poderão ter nenhum tipo de contato físico. Caso contrário, as unidades poderão punir o encarcerado.

Na porta das unidades, o visitante passará por medida de temperatura e saturação para verificar sinais de febre. Quem estiver acima de 37,2°C ou saturação abaixo de 90% será impedido de entrar. As pessoas também serão obrigadas a se higienizar com álcool 70% e a passarem por higienização dos calçados.

Leia também: Vidas Presas Importam: famílias de prisioneiros protestam por melhores condições

É preciso levar documento de identificação com foto (RG ou carteira de motorista, por exemplo) e carteirinha de visitante. Nenhum outro item poderá entrar.

A secretaria proibiu a entrada de mochilas, bolsas e sacolas nos presídios. Não será possível levar o jumbo, itens de alimentação, higiene ou medicamentos que os parentes entregam aos presos. A entrega permanece exclusiva pelos Correios.

Haverá revistas para verificar a entrada de itens proibidos por meio dos equipamentos de escaneamento corporal. A SAP não se pronunciou sobre a possibilidade ou não de revistas íntimas.

As visitas tem início nas alas com número par das unidades. A ideia é evitar aglomeração – no fim de semana seguinte será a visita das alas ímpares.

Leia também: Famílias voltam a visitar presos, agora pela internet, mas muitas ficam de fora

Também haverá divisão quanto ao número das matrículas dos presos: os que tem o final ímpar recebem as visitas no sábado (7) e os com fim par terão direito a ver seus parentes no domingo (8).

As visitas online, alternativa durante o isolamento dos presos, serão encerradas nas unidades que reabriram para visitação presencial. O serviço segue para as 44 unidades impedidas pela Justiça de terem visitantes (veja aqui a lista completa).

Ajude a Ponte!

Segundo a secretaria detalha em nota à Ponte, familiares de 105.557 presos solicitaram as visitas online, com a realização de 242.093 visitas até o dia 4 de novembro.

A SAP mantém funcionando o serviço de troca de mensagens por e-mail entre presos e familiares, o Conexão Familiar, assim como o envio e recebimento de cartas pelos Correios. Desde o início da pandemia até o momento foram trocadas 3.077.091 mensagens.

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo:

>