Jornalista é morto na fronteira do Paraguai com o Brasil

    Lourenço Veras, responsável pelo portal Porã News, foi executado a tiros em sua casa na cidade de Pedro Juan Caballero

    Leo Veras, como Lourenço era conhecido, trabalhava para o site Porã News | Foto: Reprodução/Facebook

    O jornalista brasileiro Lourenço Veras foi executado a tiros em sua casa na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai. A cidade fica na fronteira com o Brasil, na divisa com Ponta Porã, cidade no estado de Mato Grosso do Sul.

    Segundo informações do portal paraguaio ABC Color, Leo, como o profissional era conhecido, estava em sua casa quando vítima de um atentado. Atingido por vários disparos, ele não resistiu e morreu.

    O ataque aconteceu por volta de 21 horas, quando três homens em um Jeep Cherokee branco o atacaram. Lourenço estava jantando com sua família e tentou correr, mas foi morto em seu quintal.

    No Paraguai, o jornalista escrevia para o site Porã News e também trabalhara como correspondentes de veículos brasileiros. Ele trabalhou no próprio ABC Color, que noticiou sua morte.

    Veras atuava há 15 anos na região e sofria ameaças de morte. Em entrevista para a TV Record, ele detalhou algumas delas. “Enviam mensagem de texto, falando que estavam a caminho de ir embora, alguém ia sofrer atentado e que era para fechar a boca”, declarou.

    Em nota, o Fopep (Fórum de Jornalistas Paraguaios) lamentou a morte de Léo Veras. A cobrança é para uma investigação completa. “Também requeremos proteção imediata dos colegas da área contra a insegurança predominante e a falta de garantias para realizar o trabalho de informar”, cobrou.

    Pedro Juan Caballero é a cidade onde fica o presídio em que 75 presos, parte deles ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital) fugiram em 19 de janeiro.

    Segundo informações do governo do Paraguai, a fuga aconteceu com apoio de agentes prisionais que aceitaram propina. Há relato de presos informando que integrantes do PCC saíram pela porta da frente da prisão.

    Comentários

    Comentários

    Já que Tamo junto até aqui…

    Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

    Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

    Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

    Ajude

    mais lidas