x

Ajude a Ponte

Você sabe que a Ponte está do seu lado. Mas, além de coragem, a nossa luta pela igualdade social, racial e de gênero precisa de recursos para se manter. 

Com uma contribuição mensal ou anual, você ajuda a manter a Ponte de pé. Além disso, garante acesso aos bastidores da nossa redação e uma série de benefícios.

Ajude a Ponte

Presos agonizam no chão, com falta de ar, em presídio de Alagoas

13/09/20 por Arthur Stabile

Compartilhe este conteúdo:

Vídeo publicado pela Agenda Nacional pelo Desencarceramento mostra cinco presos em atendimento de emergência no presídio Cyridião Durval de Oliveira e Silva

Denúncia da Agenda Nacional Pelo Desencarceramento, frente de entidades que luta pelos direitos humanos das pessoas presas, mostra presos com falta de ar em presídios do Alagoas, estado governado por Renan Filho (MDB).

A insuficiência respiratória teria se dado pela superlotação das celas somada com a falta de circulação de ar no presídio Cyridião Durval de Oliveira e Silva, na capital Maceió.

As imagens mostram cinco presos agonizando no chão. “Tiramos para atendimento na enfermagem por falta de oxigênio circulando”, resume a pessoa que grava as imagens.

Os homens estão jogados no chão enquanto profissionais de saúde os atendem. Eles suplicam por ajuda. “Pouco ar, muitos presos dentro de um mesmo ambiente fechado, respirando, e a consequência não poderia ser outra”, descreve.

A denúncia ocorre durante a pandemia de Covid-19, doença que atinge o sistema respiratório de pessoas e com alta contaminação em aglomerado de pessoas.

Segundo dados do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), nenhum preso morreu vítima da Covid-19 em Alagoas. Há 44 contaminações confirmadas e 13 casos suspeitos, com 44 pessoas recuperadas. Os dados oficiais são fornecidos pela Seris (Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social).

A Ponte questionou a secretaria sobre a denúncia da Agenda e aguarda um posicionamento.

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

 

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo: