Tiroteio entre três PMs termina com dois mortos e um detido em Diadema (SP)

Uma mulher também ficou ferida, e segue internada; governo João Doria (PSDB) ainda não esclareceu motivações nem circunstâncias do crime

Avenida onde PMs trocaram tiros, em Diadema (SP) | Foto: Reprodução/Google Street View

Dois policiais militares morreram, um terceiro foi detido e uma mulher ficou ferida durante um tiroteio entre os PMs no início da manhã deste domingo (23/8), em Diadema, na região metropolitana de São Paulo. 

Atualização em 24/8 (entenda o que aconteceu): Um policial morreu após atirar em dois ladrões. Eram seus colegas de farda

Até a noite deste domingo, o caso continuava sendo registrado no 3º DP de Diadema. Nem os policiais no local, nem a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública do governo João Doria (PSDB) explicaram as circunstâncias ou motivações para o tiroteio.

Tudo o que a reportagem da Ponte Jornalismo conseguiu apurar, até o início da noite, é que o tiroteio envolveu os soldados Josimar Lima da Silva e André Monteiro Malfati, e que ocorreu na Avenida das Nações, no bairro de Taboão. Baleados no peito, os dois policiais foram socorridos ao pronto-socorro do Hospital Piraporinha, onde morreram.

Ainda conforme o início das apurações policiais, um dos disparos atingiu a barriga de uma mulher, que estava com um dos PMs. Ela foi socorrida ao Hospital Municipal de Diadema e transferida para o Hospital São Luiz, na zona sul da cidade de São Paulo.

Leia também: Em SP, quanto mais a PM mata, menos policiais são presos por homicídio

Os policiais baleados pertenciam a batalhões diferentes: Josimar estava lotado no 24º Batalhão Metropolitano, em Diadema, e André no 6º Batalhão, na cidade vizinha de São Bernardo do Campo. Um terceiro policial, o cabo João Paulo de Araújo Silva, foi detido no local. Em seguida, o cabo foi levado para o Comando de Policiamento de Área para prestar esclarecimentos no inquérito policial militar instaurado e, em seguida, seria ouvido na Polícia Civil.

Por meio de nota, a Polícia Militar disse que “a motivação ainda será esclarecida pela Polícia Judiciária [Civil]”. A Secretaria de Segurança Pública informou que a perícia foi solicitada e o caso é apurado pelo 3º DP de Diadema e por meio de inquérito na própria PM. 

Comentários

Comentários

Já que Tamo junto até aqui…

Que tal entrar de vez para o time da Ponte? Você sabe que o nosso trabalho incomoda muita gente. Não por acaso, somos vítimas constantes de ataques, que já até colocaram o nosso site fora do ar. Justamente por isso nunca fez tanto sentido pedir ajuda para quem tá junto, pra quem defende a Ponte e a luta por justiça: você.

Com o Tamo Junto, você ajuda a manter a Ponte de pé com uma contribuição mensal ou anual. Também passa a participar ativamente do dia a dia do jornal, com acesso aos bastidores da nossa redação e matérias como a que você acabou de ler. Acesse: ponte.colabore.com/tamojunto.

Todo jornalismo tem um lado. Ajude quem está do seu.

Ajude

mais lidas