PMs furam pneus e vandalizam carro após baile funk na zona sul de SP

17/09/19 por Pedro Ribeiro Nogueira, da Pavio, e Maria Teresa Cruz, da Ponte

Compartilhe este conteúdo:

Imagens mostram que carro alvo de depredação tentava sair do local de marcha à ré; PM fala em ‘ação equivocada’ e informa que policiais serão afastados

Dois policiais militares rasgaram pneus e destruíram o vidro de um carro onde um grupo de amigos estava após a dispersão de um baile funk na zona sul de São Paulo, entre o fim da noite de sábado (14/9) e início da madrugada de domingo (15/9). O caso aconteceu na rua Jorge Morais, no Parque Bristol.

Uma pessoa gravou a ação pelo celular. As imagens mostram um carro tentando sair do local de marcha à ré minutos após a dispersão do “fluxo” (aglomeração do baile funk). Ao colidir com um veículo que estava estacionado, o motorista para. Dois PMs se aproximam apoiados por pelo menos duas viaturas. Quando chegam no carro, rasgam os pneus e, na sequência, abrem as portas, expulsam os ocupantes e começam a destruir o vidro da frente, além de dar chutes na lataria.

Em nota, a Polícia Militar de São Paulo afirma que os policiais que aparecem na imagem pertencem ao 46º Batalhão da PM e define a ação como “equivocada”. Os PMs usaram barra de ferro ou madeira para praticar o ato. Um inquérito foi instaurado e a corporação informa que os policiais serão identificados e afastados até a conclusão das investigações.

A Corregedoria tomou conhecimento das imagens pela reportagem do UOL e determinou a “imediata apuração dos fatos”.

Imagens mostram quando PMs vandalizam veículo | Foto: reprodução

As vítimas das agressões não foram presas, segundo o morador do local que encaminhou o vídeo para a reportagem da Pavio e da Ponte. Ele afirma que há um histórico de violência por parte da PM, especialmente contra os jovens e que o Jardim São Savério é conhecido por ter “fluxos”. Em maio do ano passado, 17 pessoas ficaram feridas durante um baile funk na região. Desconhecidos passaram atirando em direção ao “pancadão”. 

“Toda vez a polícia chega para dispersar usando da força, bombas e gás. Há inclusive um PM conhecido como ‘faquinha’, que costuma cortar pneus de motos quando aborda. O pessoal não confia na polícia por aqui por causa de situações com essa”, disse o morador com a condição de não ser identificado.

“A Polícia Militar reforça seu compromisso em prestar um serviço de segurança pública de excelência para a sociedade paulista e não compactua com desvios de comportamento de seus profissionais, tendo total interesse na correta apuração dos fatos e na responsabilização dos envolvidos, nos termos da lei”, diz a nota.

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo: