Ponte vence Prêmio Vladimir Herzog com Colabora e Amazônia Real

11/10/19 por Maria Teresa Cruz

Compartilhe este conteúdo:

Série ‘Sem Direitos’ foi escolhida como melhor reportagem multimídia em um dos mais importantes prêmios de direitos humanos

Bruna Silva é mãe de Marcus Vinícius, morto aos 14 anos em operação policial no RJ | Foto: Daniel Arroyo/Ponte Jornalismo

A série “Sem Direitos”, feita pela Ponte Jornalismo em parceria com Projeto Colabora e Amazônia Real, foi a vencedora da categoria multimídia do 41º Prêmio Valdimir Herzog. As reportagens contam histórias de brasileiro que não tem os direitos básicos respeitados. A coordenação foi de Adriana Barsotti, do Colabora.

A reportagem de autoria da equipe da Ponte contou a história de Bruna Silva, mãe de Marcus Vinícius, morto aos 14 anos em operação da PM no Rio de Janeiro. Os autores são os repórteres Carolina Moura, Fausto Salvadori e o fotojornalista Daniel Arroyo.

Confira a série de reportagens “Sem Direitos”

A votação aconteceu nesta sexta-feira (11/10) na Sala Oscar Pedroso Horta, na Câmara Municipal de São Paulo. Além da reportagem da Ponte, que tratava sobre o direito à vida, a série contou outras histórias de brasileiros que vivem sem acesso ao básico para dignidade: educação, saneamento, aposentadoria, etc.

Fausto Salvadori, repórter e editor da Ponte, destaca que o trabalho conjunto foi fundamental para o resultado. “É um prêmio muito especial por vários motivos, e um deles é por a gente ter ganhado junto com a Amazônia Real, que é uma inspiração para todo mundo que faz jornalismo independente no Brasil, e que foi uma das inspirações para a criação da Ponte. A ideia foi toda da Adriana Barsotti, do projeto Colabora, que teve a sacada de reconhecer que os jornalistas podem fazer muito mais e melhor se decidirem trabalhar juntos em vez de ficar sempre competindo pelo furo”, afirmou.

O fotógrafo Daniel Arroyo disse que ficou muito emocionado com a confirmação da vitória. “A Ponte merece um prêmio como o Herzog e poder contribuir com isso é surreal”, declarou, usando uma expressão – surreal – bastante conhecida entre os colegas de redação da Ponte.

Salvadori destaca que ganhar prêmio é sempre bom porque é um reconhecimento de um trabalho jornalístico, mas lembra que as reportagens premiadas no Herzog tratam majoritariamente de violações de direitos humanos. “É um misto de celebração e lamento. Celebração pelo talento das pessoas envolvidas e lamento pelas injustiças que denunciamos. Que o prêmio sirva para chamar a atenção de todas as histórias que contamos, em especial da Bruna Silva, alvo do maior dos crimes que um ser humano pode cometer, que é a morte de um filho. Ela ainda espera por justiça”, concluiu.

A repórter Carolina Moura disse que ao saber da vitória ficou sem palavras, mas, ainda assim, deu uma breve declaração do que significou a notícia. “Foi um sentimento gigante para quem faz jornalismo, principalmente quem está começando, como eu. Me sinto muito feliz em ter colaborado com essa série e de levar o 41º prêmio tão significativo nessa área. Esse premio é para todos nós da equipe da Ponte. Eu, do nordeste, representado aquela parcela da população aqui no sudeste. Obrigada, mundão”, disse Carolina.

Confira a lista de vencedores do 41º Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos.

Categoria: Arte
Prêmio: Tira (Portal Leia Já – Recife/PE)
Menção honrosa: Edição Ilustrada de 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (Revista Continente – Recife/PE)

Categoria: Fotografia
Prêmio: Exército detém dez militares ligados a assassinato de músico no Rio (El País – Rio de Janeiro/RJ)
Menção honrosa: Direito à Moradia (Jornal Diário do Nordeste – Fortaleza/CE)

Categoria: Produção Jornalística em Áudio
Prêmio: LGBTfobia: Medo de quê? (Rádio CBN – São Paulo/SP)
Menção honrosa: Chico Mendes, a voz que não cala (Brasil de Fato – Santo André/SP)

Categoria: Produção Jornalística em Multimídia
Prêmio: Sem direitos: o rosto da exclusão social no Brasil (Projeto Colabora – Rio de Janeiro/RJ)
Menção honrosa: Título: Segunda chance (JC Online – Recife/PE)

Categoria: Produção Jornalística em Texto
Prêmio: Matança da PM em Milagres e a invenção da resistência (Diário do Nordeste – Fortaleza/CE)
Menção honrosa: O meio ambiente como estorvo (Piauí – Rio de Janeiro/RJ)

Categoria: Produção Jornalística em Vídeo
Vencedor: 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos – conquistas e fracassos (TV Globo – São Paulo/SP)
Menção honrosa: O Paciente Invisível (TV Brasil – São Paulo/SP)

Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo: